COMPRAR UM APARTAMENTO SOZINHA: COMO FINANCIAR UM IMÓVEL COM CASA VERDE E AMARELA?

Guia da Tenda

O programa habitacional do Governo Federal, Casa Verde e Amarela, tem o objetivo de ajudar as pessoas com baixa renda facilitando o financiamento imobiliário para compra da casa própria. Logo, se você quer comprar um apartamento sozinha, o Casa Verde e Amarela é a melhor alternativa para você realizar essa conquista.

Loja Virtual Tenda
Spotify Blog da Tenda

Neste artigo, você vai descobrir todos os detalhes de como você vai conseguir comprar seu apartamento sozinha com o auxílio do programa Casa Verde e Amarela. Vamos nessa!?

Como comprar um apartamento sozinha com Casa Verde e Amarela?

Foto de uma moça negra feliz de mudança para novo apartamento | Como comprar um apartamento sozinha | Guia da Tenda | Blog da Tenda

Para começar, muitas pessoas acreditam que não é possível conquistar a casa própria sozinha, sem depender de ninguém. No entanto, se você tiver um planejamento e disciplina, o sonho da casa própria pode se tornar realidade. A seguir, confira todas as dicas de como comprar um apartamento sozinha através do programa Casa Verde e Amarela, e outras opções possíveis.

Tudo sobre o programa Casa Verde e Amarela

Foto de um celular com o logo do programa Casa Verde e Amarela | Como funciona o programa Casa Verde e Amarela | Guia da Tenda | Blog da Tenda

O novo programa habitacional do Governo Federal, o Casa Verde e Amarela, foi criado para substituir o Minha Casa Minha Vida. O principal objetivo do Casa Verde e Amarela é facilitar o financiamento para compra da casa própria por famílias de baixa renda das áreas urbanas e rurais com renda familiar de até R$ 7 mil.

A meta do Governo é atender quase 2 milhões de brasileiros com financiamento imobiliário até 2024. Além disso, dentro do programa é possível utilizar os recursos do financiamento para regularização fundiária e reformas de moradias já existentes. Um ponto importante é que o Casa Verde e Amarela organizou os participantes em três grupos de renda, sendo eles:

  • Grupo 1

Pessoas com renda familiar de até R$ 2.400;

  • Grupo 2

Famílias com renda familiar bruta de R$2.400,01 até R$ 4 mil;

  • Grupo 3 

Brasileiros com renda bruta de R$ 4.000,01 até R$ 7 mil.

Então, cada faixa de renda é contemplada com as menores taxas de juros do mercado, além de outros benefícios, como: subsídio habitacional, composição de renda, utilização do FGTS, entre outros. Na sequência, vamos explicar com detalhes sobre as faixas de renda do Casa Verde e Amarela. Para entender mais sobre o Casa Verde e Amarela, confira o vídeo abaixo.

Faixa de renda Casa Verde e Amarela

Inicialmente, os participantes do Casa Verde e Amarela são divididos em grupos de renda. Cada grupo conta com um pacote específico de vantagens. Isso quer dizer que, quanto menor for a renda da pessoa ou família, m ais subsídio e menores taxas de juros elas poderão conquistar. Confira qual grupo de renda do Casa Verde e Amarela você se enquadra:

Imagem dos grupos de renda do Casa Verde e Amarela | Quais são as faixas de renda do Casa Verde e Amarela | Minha Casa Minha Vida | Blog da Tenda

 

Na sequência, conheça quais são as taxas de juros de cada grupo.

Taxas de juros Casa Verde e Amarela

As taxas de juros do Casa Verde e Amarela são as menores que as tarifas praticadas no mercado imobiliário. Além do mais, os juros cobrados pelo programa variam de acordo com o grupo de renda, se o solicitante é cotista ou não do FGTS e qual a região que está o imóvel escolhido.

Um ponto importante que para os moradores das regiões Norte e Nordeste, fazer um financiamento com Casa Verde e Amarela é uma ótima. Visto que, as taxas para essas localidades são diferenciadas.

Aliás, as pessoas que optarem usar o FGTS na compra do apartamento com o Casa Verde e Amarela, e contribuíram para o fundo em mais de 36 meses, os juros são menores ainda. A seguir, descubra as taxas de juros do PCVA para cada grupos de renda e região do Brasil.

Imagem das Taxas de Juros Casa Verde e Amarela | Quais são os juros do Casa Verde e Amarela | Minha Casa Minha Vida | Blog da Tenda

  • Grupo 1 – para as regiões Norte e Nordeste, as taxas de juros para os Cotista é de 4,25% a 4,50%, e não cotista 4,75% a 5,00%. Para as demais regiões, os cotistas contam com juros de 4,50% a 4,75%, e não cotista, 5,00% a 5,25%;
  • Grupo 2 – para as famílias das regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste as taxas que variam entre 5,5% e 7% (não cotista) e de 5% a 6,5% (cotista). Já para os moradores das regiões Norte e Nordeste, os juros ficam em torno de 4,75% a 6,5% para cotistas e 5,25% a 7% para não cotistas.
  • Grupo 3 – para esse grupo, as taxas de juros são iguais para todas as regiões do país, sendo 7,66% para cotistas do FGTS e 8,16% para os não cotistas.

Subsídio Casa Verde e Amarela: a grande oportunidade para comprar um apartamento sozinha

Foto de um celular com o logo do programa Casa Verde e Amarela com dinheiro de fundo | Como funciona o subsídio do Casa Verde e Amarela | Guia da Tenda | Blog da Tenda

O subsídio do Casa Verde e Amarela é um valor que o Governo oferece para as famílias de baixa renda conseguirem financiar uma casa ou apartamento. Ou seja, o benefício funciona como um desconto no valor total do apartamento, utilizado apenas na compra de um imóvel.

Geralmente, esse dinheiro reduz o custo do financiamento, deixando as parcelas mais baratas. Para resumir, o Governo dá aquele empurrão para te ajudar a comprar seu apartamento sozinha, pagando parte do valor do imóvel. Mas, fique tranquilo, esse dinheiro não precisará ser devolvido.

Para explicar melhor como funciona o subsídio Casa Verde e Amarela: digamos que você vai comprar um imóvel de R$ 200 mil e consegue um subsídio de R$ 20 mil. No final das contas, você terá que pagar apenas R$ 180 mil no imóvel. Incrível, não é mesmo?!

Em resumo, o governo dá aquele empurrão para te ajudar a comprar sua casa própria, pagando parte do valor do imóvel. Mas, fique tranquilo, esse dinheiro não precisará ser devolvido.

No entanto, os valores de subsídio oferecidos dependem de alguns fatores, como: sua renda mensal, a região onde você quer morar e o valor do imóvel. Então, quanto menor for a renda familiar, maior será o valor do subsídio habitacional. Quer saber mais como funciona o subsídio Casa Verde e Amarela? Confira o vídeo abaixo.

Quais são os valores de subsídio oferecidos pelo Casa Verde e Amarela?

Um ponto importante é que os valores liberados do subsidio habitacional são determinados de acordo com a renda familiar mensal, a região onde está localizado o imóvel que será comprado e o valor da propriedade.

Então, para cada grupo de renda do Casa Verde e Amarela, existe uma quantia aproximada de subsídio definida pelo programa. Confira a seguir os valores de subsídio para cada grupo de renda do PCVA:

Imagem sobre os valores do subsídio Casa Verde e Amarela | Quais são os valores de subsídio | Minha Casa Minha Vida | Blog da Tenda

  • Grupo 1

Pessoas com renda de até R$ 2.400,00 podem conseguir até R$ 47.500,00 de subsídio;

  • Grupo 2

Pessoas com renda de R$ 2.400,01 até R$ 4.000,00 podem conseguir até R$ 29.000,00 de subsídio.

Mas, se você quer saber quanto poderá receber desse benefício, consulte o Simulador de Financiamento da Tenda. Através dessa ferramenta, você vai descobrir os valores aproximados de subsídio, custo das parcelas do financiamento e qual apartamento Tenda cabe no seu orçamento.

Demais vantagens do programa Casa Verde e Amarela

Inicialmente, o Casa Verde e Amarela possui diversas vantagens para quem for comprar um imóvel através do programa. Além do subsídio, o Casa Verde e Amarela conta com os outros demais benefícios, como: composição de renda e a utilização FGTS na compra do imóvel. Na sequência, conheça os detalhes desses benefícios do Casa Verde e Amarela. No vídeo a seguir, saiba como funciona o Simulador de Financiamento da Construtora Tenda.

Composição de renda

Para começo de conversa, a composição de renda é a soma dos salários de duas, três ou mais pessoas para comprar um imóvel. Um ponto importante desse benefício é que, através da comprovação de renda os bancos avaliam se uma pessoa consegue pagar ou não as prestações de um financiamento. Porém, quando a pessoa descobre que sua renda não é o suficiente para o banco aprovar um empréstimo, a opção é compor renda com outras pessoas para aumentar as chances de liberação do financiamento.

Então, a composição de renda é uma excelente alternativa para aumentar as chances de conseguir o financiamento imobiliário e comprar um apartamento sozinha com ajuda de algumas pessoas.

Para deixar mais claro como funciona a composição de renda, digamos que o seu salário é de R$ 1 mil e alguém da sua família recebe R$ 2 mil, logo, a composição de renda será de R$ 3 mil.

Aliás, você pode compor renda com diversas pessoas, desde seus familiares, até seus amigos, entre outros. Abaixo, confira quem pode participar da sua composição de renda:

  • cônjuges e namorados;
  • enteado, madrasta e padrasto;
  • pais, sogros e filhos;
  • tios e primos;
  • irmãos e amigos.

Imagem das pessoas que podem fazer a Composição de Renda no Casa Verde e Amarela | Posso fazer composição de renda no financiamento Casa Verde e Amarela | Guia da Tenda | Blog da Tenda

Vale destacar que cada banco tem suas condições para a composição de renda. Dependendo do tipo de financiamento imobiliário, é possível compor renda com até três pessoas. Para isso, veja quais são as exigências da composição de renda do banco que você irá contratar o financiamento.

Requisitos para composição de renda

A composição de renda é um dos benefícios do Casa Verde e Amarela que facilita muito na hora da provações do financiamento imobiliário. Porém, antes de solicitar um financiamento, fique atento a todos as condições que os bancos costumam exigir para liberação do crédito habitacional. A seguir, listamos os principais requisitos para composição de renda. Confira:

  • Análise de risco de crédito: é um procedimento feito pelo banco com todas as pessoas que solicitarem o financiamento com a composição de renda.
  • Sobre o imóvel: seja apartamento ou casa, a propriedade deve estar localizada na mesma cidade ou região, onde as pessoas que solicitaram o financiamento moram ou trabalham há, pelo menos, um ano.
  • Solicitantes: devem ser brasileiros, maiores de 18 anos e, principalmente, não podem ter restrições de crédito, como CPF negativado, por exemplo.

Então, saiba com quem você vai compor renda na hora de comprar um apartamento sozinha, justamente porque é uma dívida a longo prazo e todos devem estar comprometidos com o pagamento das parcelas do financiamento. Entenda mais sobre composição de renda no vídeo abaixo.

Uso do FGTS para comprar apartamento sozinha

Foto do logo do FGTS no celular e no computador | Como usar o FGTS para comprar imóvel | Guia da Tenda | Blog da Tenda

Outro benefício muito utilizado no programa Casa Verde e Amarela é o uso do saldo do FGTS no financiamento de imóveis. É possível usar o saldo do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço para comprar um apartamento sozinha das seguintes maneiras:

  • Como valor de entrada;
  • Na amortização ou liquidação do saldo devedor;
  • No pagamento de parte das prestações do financiamento.

Porém, para usar o seu saldo do FGTS para compra seu imóvel próprio, é preciso atender as condições do fundo. Veja na sequência as regras para usar o FGTS no financiamento de imóveis:

Para o comprador

  • Ter pelo menos três anos de carteira assinada sob regime do FGTS (consecutivos ou não), na mesma ou em empresas diferentes.
  • Não ter outro financiamento ativo no Sistema Financeiro de Habitação (SFH), em qualquer parte do País.
  • Não ser dono de outro imóvel residencial na cidade onde mora ou trabalha.

Para o imóvel

  • Deve ser uma propriedade urbana;
  • A finalidade do imóvel é para moradia do trabalhador – e não para aluguel;
  • Pode ser uma propriedade usada ou nova;
  • O imóvel deve ter a matrícula no Registro de Imóveis e não apresentar qualquer impedimento à comercialização;
  • A propriedade não pode ter sido financiada com o uso do FGTS nos últimos 3 anos;
  • A moradia precisará passar por uma vistoria de um agente da Caixa Econômica Federal para atestar a finalidade de uso do imóvel e as condições de habitabilidade antes do recurso ser liberado.

Assim, depois de atender as condições que o fundo determina, você poderá utilizar o saldo do Fundo de Garantia para comprar seu apartamento sozinha com o Casa Verde e Amarela. Descubra todo os detalhes de como utilizar o FGTS na compra do seu apartamento no vídeo abaixo.

Quem pode participar do Casa Verde e Amarela?

O primeiro passo para participar do programa Casa Verde e Amarela é fazer parte de um dos três grupos de renda. Além disso, atender as seguintes condições:

Imagem de quem pode participar do Casa Verde Amarela | Quais são os requisitos para participar do Casa Verde e Amarela | Guia da Tenda | Blog da Tenda

  • ser brasileiro ou naturalizado no país;
  • ter 18 anos ou mais;
  • não ter nenhum imóvel próprio em seu nome;
  • quem não está financiando nenhum imóvel;
  • que não tenha participado de nenhum programa habitacional do Governo;
  • quem não está no Cadastro Nacional de Mutuários (CADMUT).

Se você estiver dentro das condições do Casa Verde e Amarela, solicite um financiamento com o auxílio do programa habitacional para a comprar seu apartamento sozinha.

Como funciona a comprovação de renda no Casa Verde e Amarela?

Comprovar renda na compra de um imóvel é uma etapa muito importante. Isso porque, é com base nessa informação que o banco avalia se você tem a capacidade de arcar com o pagamento do financiamento imobiliário.

No entanto, muitas pessoas ainda têm dúvidas de como comprovar renda no financiamento imobiliário através do programa Casa Verde e Amarela. Confira a seguir, quais são os principais documentos que são aceitos como comprovantes de renda para concretizar o processo da compra do seu imóvel próprio.

  • Trabalhadores com carteira assinada (CLT): holerite dos últimos três meses, Declaração de Imposto de Renda para pessoa física (DIRPF), o INSS e o eSocial.
  • Trabalhadores autônomos: extratos bancários dos últimos três meses, a Declaração do Imposto de Renda, Recibo de Pagamento de Autônomo (RPA); Decore (Declaração Comprobatória de Percepção de Rendimentos); ou o Pró-Labore.

Quer mais detalhes de como comprovar renda no Casa Verde e Amarela? Confira no vídeo abaixo.

Dicas de como comprar um apartamento sozinha

Saiba que comprar um apartamento sozinha não é um sonho impossível. Mesmo sendo um grande desafio, é normal surgirem muitas dúvidas com relação a essa compra tão importante aquisição. Então, separamos algumas dicas especiais para te ajudar a conquistar seu primeiro imóvel. Vamos lá?!

Faça um planejamento financeiro para comprar apartamento sozinha

Foto de uma mulher negra escrevendo | Como fazer um planejamento financeiro para comprar apartamento | Guia da Tenda | Blog da Tenda

Em primeiro lugar, para você que quer comprar um apartamento sozinha é ter um planejamento financeiro. Portanto, faça os cálculos necessários para você ter uma noção clara do quanto você precisará ter para conquistar a casa própria sozinha.

Faça um levantamento de quanto você poderá dar de valor de entrada e quanto será o custo aproximados das parcelas do financiamento. Lembrando que o valor das prestações, por lei, não podem ser mais do que 30% da sua renda mensal.

Para isso, não deixe de fazer uma simulação gratuita no Simulador de Financiamento da Tenda. A ferramenta vai te mostrar o apartamento que cabe no seu orçamento. Além disso, você vai descobrir se tem direito ao subsídio, qual valor de subsídio você pode ter, quais o custo aproximado das prestações do financiamento e o valor total do imóvel.

Nesses cálculos, não esqueça de incluir as despesas adicionais, como as documentações do apartamento e taxas relacionadas aos cartórios e demais taxas.

Saiba os custos adicionais na compra de um apartamento sozinha

Você que quer comprar um apartamento sozinha não pode deixar de avaliar é saber quais são os custos adicionais, além do financiamento. Essas despesas extras fazem parte do processo de compra de um apartamento na planta ou um imóvel já pronto.

Assim, tenha em mente e planejado esses gastos, como: valor de entrada da imóvel, impostos, taxas, documentações do imóvel, comissão de corretor, etc.  Além disso, é fundamental levar em conta os gastos adicionais que essa aquisição vai gerar e que podem pesar no seu orçamento.

Principais despesas extras na compra de um imóvel

Foto de uma mulher fazendo as contas numa calculadora | Quais são os custos extras de um financiamento imobiliário | Guia da Tenda | Blog da Tenda

Então, para te ajudar a se preparar para esses gastos extras, listamos as principais taxas adicionais que fazem parte do processo de compra de um apartamento. Confira:

  • ITBI: o Imposto sobre Transmissão de Bens Imóveis é um tributo municipal que é cobrado nas operações de compra e de venda de imóveis. Esse valor é pago pelo comprador do imóvel, para realizar a transferência do bem para o nome do novo dono.
  • Taxa de evolução de obra: essa tarifa é conhecida como os juros de obra de apartamentos adquiridos na planta. São encargos cobrados pelo banco junto à construtora no financiamento do imóvel, e repassados ao comprador.
  • Taxa de corretagem: é o pagamento dos serviços do corretor de imóveis que negociou a compra do seu apartamento. O valor da taxa de corretagem é de 6% do custo total do imóvel, em média.
  • Escritura pública: é um documento, emitido pelo cartório de notas, que atesta que a venda do imóvel é legal. Essa documentação é feita nas compras à vista de imóveis. Já para uma compra feita por financiamento, a escritura não é necessária, porque é substituída pelo contrato de financiamento.
  • Registro de imóvel: após a assinatura do contrato de financiamento, o comprador do bem deve ir ao cartório de Registro de Imóveis da cidade onde está a propriedade. Lá, a transferência da propriedade deve ser registrada na matrícula do imóvel. O valor da taxa do registro de imóvel pode variar entre 3% e 5% do valor total do bem.

Poupe para ter um valor de entrada para o imóvel

Para conquistar as chaves do seu novo apartamento, é preciso ter em mente que você deverá poupar uma quantia para dar de valor de entrada no imóvel.

De modo geral, o valor de entrada de um apartamento é cerca de 20% a 30% do custo total do imóvel. Na sequência, separamos algumas dicas de como você pode economizar e ajuntar esse dinheiro para dar de entrada no seu novo lar.

Faça uma renda extra

Foto de uma mulher fazendo cupcakes | Como fazer uma renda extra para comprar um apartamento sozinha | Guia da Tenda | Blog da Tenda

Uma ótima alternativa para aumentar sua renda mensal e conseguir poupar um bom dinheiro é fazer uma renda extra. A dica é transformar algum hobby seu em algum tipo de serviço ou produto e cobrar por eles. Agora, para te ajudar a ter alguma ideia de renda extra, listamos algumas opções que podem render um bom dinheiro e completar o seu orçamento:

  • Ser motorista de aplicativo;
  • Entregar por aplicativos;
  • Ofereça serviços estéticos;
  • Faça maquiagens;
  • Revenda produtos na internet;
  • Trabalhe como freelance (redator, atendimento, designer, etc.;
  • Fazer bolos, doces e salgadinhos para festas e eventos;
  • Faça um bazar virtual;
  • Faça conteúdo para sites, blogs e redes sociais;
  • Crie vídeos para o Youtube;
  • Alugue alguns itens que você não utiliza muito (máquina fotográfica, etc.);
  • Responda pesquisas online;
  • Faça teste de aplicativos;
  • Dê aulas online;
  • Venda artesanatos (bordados, velas aromáticas, porta-objetos, topos de bolo de papel, cadernos, crochês, etc.);
  • Ajude com mudanças;
  • Preste serviços de consultoria;
  • Cuide e passeie com cachorros;
  • Faça traduções de textos;
  • Entre outras possibilidades.

Aliás, realizar um trabalho extra pode aumentar seu orçamento e ajuda a poupar uma boa quantia para dar de entrada em um imóvel e até mesmo investir.

Reduza suas despesas

Foto de uma mulher fazendo as contas | Como reduzir as contas | Guia da Tenda | Blog da Tenda

Uma outra alternativa para te ajudar a economizar para ajuntar dinheiro para dar de entrada e comprar seu apartamento sozinha é reduzir seus gastos.

Para isso é preciso fazer um levantamento completo das suas finanças. Anote todos os seus custos fixos mensais (conta de água, luz, internet, compra do mês, condomínio, gás, etc.) e as demais dívidas junto com os valores e datas de vencimento.

Depois, avalie quais são os gastos desnecessários que podem estar consumindo sua renda. Um bom exemplo é aquela academia que você paga todos os meses e não vai, despesas com delivery, a assinatura daquele streaming que você não assiste e principalmente as compras por impulso no cartão de crédito.

Além do mais, faça uma autoavaliação sobre seus hábitos de consumo e veja se eles são saudáveis para esse momento da sua vida. O ideal é manter controle do seu orçamento, para que você possa poupar dinheiro para dar de entrada no seu tão sonhado imóvel. Por fim, conheça as pequenas economias diárias que podem fazer a diferença no final do mês. Por exemplo:

  • Apague a luz ao sair dos cômodos da sua casa;
  • Coloque o chuveiro na posição verão no período de calor;
  • Reduza o tempo de banho;
  • Ajunte mais roupas para usar a máquina de lavar uma vez só na semana, se possível;
  • Entre outras formas de economia em casa.

Com essas dicas, é um esforço maior valerá a pena para que você possa realizar o sonho da casa própria sozinha.

Analise qual tipo de imóvel você quer: apartamento na planta, imóvel pronto ou usado

Foto de mulher negra pesquisando na internet | Veja qual tipo de apartamento para comprar sozinha | Guia da Tenda | Blog da Tenda

Para você que quer comprar um apartamento sozinha, uma parte importante desse processo é escolher qual tipo de imóvel você quer morar. No mercado existem apartamentos na planta, imóvel usado e novo. A decisão depende se você do que você deseja e das suas possibilidades financeiras.

Apartamentos novos costumam ter um custo mais elevado, justamente por conta das opções de lazer do condomínio, como piscinas, churrasqueiras, salões de festas, quadras poliesportivas, academia, etc. Além disso, a metragem desses imóveis é menor.

Já os apartamentos antigos nem sempre dispõem de áreas de lazer completas, porém costumam ser mais espaçosos. Aliás, mesmo que o imóvel seja usado, existem taxas adicionais, principalmente de cartório que precisam ser pagas para finalizar a transferência do imóvel para o novo.

Por fim, os apartamentos na planta, é uma boa alternativa na questão de valores, porque, normalmente são mais em conta, dependendo da negociação. Além do mais, um imóvel na planta tem a vantagem de ser personalizável, em alguns casos.

Considere comprar um apartamento na planta

Foto de uma planta de apartamento | Compre um apartamento na planta | Guia da Tenda | Blog da Tenda

Primeiramente, existe muitas vantagens na compra de um apartamento na planta. Além de receber um imóvel novo, você encontra outros benefícios, como:

  • É um imóvel mais barato;
  • Têm melhores condições de pagamento e taxas juros;
  • Um imóvel novo não vai ter manutenções de imediato;
  • Te dá tempo para se organizar e economizar (o tempo que a construtora leva para concluir as obras);
  • Um apartamento novo tem muito potencial de valorização;
  • Possiblidade de personalizar cada acabamento;
  • Mais tempo para planejar a mudança;
  • Economizar para comprar os móveis planejados e itens de decoração;
  • Decorar do jeito que você quiser, entre outras vantagens.

Conheça a infraestrutura do apartamento que você vai comprar sozinha

É importante avaliar a infraestrutura do seu novo apartamento quando você for visitar o estande de vendas ou o condomínio. Se for imóvel já pronto, seja um apartamento novo ou usado, não deixe de verificar detalhadamente a propriedade.

Além disso, faça uma vistoria completa e se possível, leve especialistas de hidráulica e elétrica, para que você tenha convicção da segurança do imóvel que está adquirindo.

Contudo, na vistoria avalie o estados das redes hidráulica e elétrica, veja se não há rachaduras e cupins, inspecione as áreas comuns, a estrutura de segurança, etc.

Visite o local e região do imóvel

Foto de mulher negra andando na rua | Dicas para comprar apartamento sozinha | Guia da Tenda | Blog da Tenda

Antes de mais nada, se você estiver comprando um apartamento na planta, procure visitar a região onde será construído o empreendimento. Já para as pessoas que estão adquirindo um imóvel já pronto, novo ou usado, circule também pela região do seu novo lar.

Ainda assim, observe se tem algum comercio local, se tem feira livre e os dias que acontece, se o prédio tem fácil acesso para carros, converse com os vizinhos, etc.

Em resumo, faça visitas no local e na região do seu imóvel em horários e dias diferentes para que você já tenha uma noção de como funciona o dia a dia daquela localidade que futuramente você vai morar.

Pesquise a reputação da construtora

Foto de uma mulher jovem com notebook | Como comprar um apartamento sozinha | Guia da Tenda | Blog da Tenda

A princípio, é de suma importância pesquisar a reputação da construtora que você pretende fechar negócio do seu novo apartamento. Aliás, procure conhecer o histórico da empresa e verifica ponto como:

  • Analisar a opinião e satisfação dos clientes;
  • Saiba a qualidade das obras já entregues;
  • Confira a saúde financeira da construtora;
  • Pesquise sobre a reputação da empresa no mercado;
  • Examine a execução dos projetos anteriores.

Todavia, para as companhias que possuem o capital abeto na bolsa de valores, todas as informações financeiras e operacionais estão acessíveis ao público. Este é o caso da Construtora Tenda, com mais de 50 anos de mercado, é considerada uma das maiores construtoras do Brasil.

Além disso, a Tenda é uma das empresas que faz parte da Bolsa de Valores de São Paulo. Listada no Novo Mercado da B3, a companhia tem o mais alto nível de governança corporativa do país. Quer saber mais sobre a Tenda, acesse o nosso site.

Conheça as formas de pagamento do apartamento

Foto de uma mulher pesquisando no computador de mudança para apartamento | Dicas para comprar apartamento sozinha | Guia da Tenda | Blog da Tenda

Depois de pesquisar qual tipo de apartamento você quer comprar sozinha, seja na planta, novo ou usado, é hora de verificar as condições de pagamento do imóvel. Em outras palavras, veja todas as condições de financiamento imobiliário, consórcio ou pagamento à vista.

Por isso, caso você compre se apartamento sozinha através de um financiamento de imóveis, analise os custos das parcelas, o valor de entrada, o tempo do financiamento, as taxas de juros e todas as despesas adicionais. Assim, verifique seu orçamento e estude qual é a melhor opção de financiamento para você. Lembrando que financiar um apartamento pelo Casa Verde e Amarela é uma excelente alternativa para conseguir diversos benefícios durante o processo de compra do imóvel.

Agora, se você não tem pressa para entrar no apartamento, optar por um consórcio imobiliário é uma alternativa. Justamente porque, no consórcio o comprador deve aguardar ser sorteado com a carta de crédito, ou caso ele ofereça um lance superior, que é uma forma de ser comtemplado.

Por fim, nos casos em que o comprador tem o valor total do imóvel para fazer um pagamento à vista, é uma grande oportunidade de conseguir bons descontos custo total do apartamento e fazer uma boa negociação. Já que, você tem o dinheiro em mãos para quitar a propriedade.

Tipos de Financiamento imobiliário

Foto de uma mulher pesquisando sobre apartamento | Como comprar um apartamento | Guia da Tenda | Blog da Tenda

A princípio, no mercado imobiliário existem vários tipos de financiamento de imóveis. Cada modalidade atende as necessidade de cada comprador. Em seguida, listamos os principais tipos de financiamento imobiliário:

  • Sistema Financeiro de Habitação (SFH): é um financiamento que usa os recursos do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) e da conta poupança para compra ou construção de imóvel. Contudo, é uma modalidade de crédito que libera no máximo 80% do valor total do imóvel.
  • Sistema de Financiamento Imobiliário (SFI): é o financiamento que não tem muita burocracia e que facilita a compra da propriedade. Isso porque, as taxas de juros são muito favoráveis e possibilita a negociação do financiamento diretamente com bancos. Mas, para essa modalidade não é possível utilizar o FGTS no pagamento do imóvel.
  • Financiamento feito com a Construtora: em primeiro lugar, procure diretamente a construtora do seu interesse e veja quais são as condições para o financiamento direto com ela. Depois, veja quais são as regras e os requisitos para participar de um programa exclusivo. Por fim, analise a proposta da construtora. De modo geral, a proposta está relacionada a documentação, formas de pagamento, prazos, juros e muito mais.

Então, como você já sabe quais são os principais tipos de financiamento, o Casa Verde e Amarela é uma excelente opção para comprar seu apartamento sozinha. Porque, o programa habitacional do Governo Federal facilita o financiamento da casa própria por famílias de baixa renda. No vídeo abaixo, saiba quais são os documentos necessários para financiar um imóvel.

Quais são as etapas de um financiamento?

Foto de casinha com ponto de interrogação | Quais são as etapas de um financiamento de imóveis | Guia da Tenda | Blog da Tenda

Especialmente, ao comprar um imóvel sozinha, existem alguns pontos importantes que fazem parte do processo de financiamento de imóveis. Na sequência, confira os tópicos:

  • Entrada – o valor de entrada é cerca de 20% do preço total do imóvel no financiamento. Porém, se o solicitante do empréstimo oferecer mais do que 20%, os juros podem diminuir e o financiamento pode ficar mais em conta. Isso porque, as taxas de juros são calculadas de acordo com o saldo devedor. Ou seja, quanto maior for o valor de entrada, menor a dívida poderá ficar e menos juros você irá pagar.
  • Avaliação do imóvel – a vistoria do imóvel feita pelo banco serve para conferir se o valor do imóvel está certo e define quanto o banco poderá emprestar ao comprador. Esse processo também ajuda a verificar se o financiamento solicitado se enquadra nos requisitos do SFH, permitindo que o solicitante utilize o saldo do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) na compra.
  • Garantias – na maioria dos financiamentos, o próprio imóvel é a garantia da operação. Isso pode acontecer através de uma hipoteca ou alienação fiduciária, modalidade mais utilizadas pelos bancos. Em outras palavras, a propriedade fica alienada ao banco até a quitação da dívida. Assim, caso tenha algum tipo de inadimplência, facilita ao banco tomar o imóvel.

Vale lembrar que a avaliação do imóvel é um serviço cobrado, pois o avaliador do banco irá presencialmente no local da propriedade.

O que é amortizar o financiamento e quais são os tipos de amortização?

Depois que você decidiu qual tipo de pagamento e de financiamento será feito na compra do apartamento, é importante conhecer os tipos de amortização de financiamento .

Para esclarecer, amortização de parcelas é a redução de dívida por meio do pagamento parcial ou gradual acertado entre as partes (comprador e banco). Ou seja, é a modalidade de parcelamento do financiamento que você contrata.

Contudo, no financiamento imobiliário existem alguns tipos de amortização. Confira a seguir quais são as opções mais comuns de amortização de financiamento de imóveis.

  • Sistema Price: conhecido também como tabela Price, é um tipo de amortização que as parcelas são baixas e fixas durante todo o período do financiamento. Ou seja, a primeira e a última prestações terão o mesmo valor.
  • Sistema SAC: no Sistema de Amortização Constante as parcelas com o valor maior estão no início do financiamento e as últimas prestações são mais baratas.
  • Sistema Sacre: é a combinação do Sistema SAC e a Tabela Price. É o financiamento que as parcelas parecem uma escada. No começo, as prestações ficam com o mesmo valor durante um certo tempo e depois vão reduzindo, de acordo com a correção da Taxa Referencial. Ou seja, as parcelas descem um degrau e se mantêm no mesmo novo valor por mais algum período.

Quais são os documentos necessários para financiar um apartamento sozinha com Casa Verde e Amarela?

Foto do logo Casa Verde e Amarela no celular | Como participar do Casa Verde e Amarela | Guia da Tenda | Blog da Tenda

Primeiramente, um dos principais motivos da desclassificação dos solicitantes do Casa Verde e Amarela é a falta da documentação correta.

Isso porque, é através dos documentos solicitados que comprovam se o beneficiário atende todos os requisitos do programa. Em seguida, conheça os documentos para o cadastro do Casa Verde e Amarela:

  • Documentos pessoais: RG, Carteira Nacional de Habilitação (CNH) e CPF;
  • Comprovantes de Estado Civil: Certidão de Nascimento, para os solteiros e Certidão de Casamento, para quem é casado. Para os divorciados, é preciso a Certidão de Casamento Averbada com divórcio ou Contrato de União Estável;
  • Comprovante de renda;
  • Carteira de trabalho;
  • Título de Eleitor;
  • Comprovante de residência atual;
  • Certidões de Nascimento e CPF dos filhos menores de 18 anos;
  • Em casos de Portadores de Necessidades Especiais, laudo médico atual com identificação da doença e CID.

A dica também é ter os documentos originais e cópias em mãos, para que não haja nenhuma complicação ou imprevistos. Com isso, você evita possíveis problemas na hora de fazer o cadastro no programa.

Viu só como é possível comprar seu apartamento sozinha com o Casa Verde e Amarela. Agora, é só aplicar as dicas e encontrar seu novo lar.

Se você ainda não encontrou seu apartamento novo, confira as opções de apartamentos à venda da Construtora Tenda. A Tenda é uma grande parceira do programa Casa Verde e Amarela e já ajudou mais de 120 mil famílias a conquistarem a casa própria.

Entre em contato com nosso time de atendimento e encontre o apartamento que cabe no seu bolso! Conte com a gente para sua nova conquista!

Sobre a Tenda

Tenda é uma das maiores construtoras do Brasil e uma das empresas que integram a Bolsa de Valores de São Paulo. Listada no Novo Mercado da B3, a companhia tem o mais alto nível de governança corporativa do país.

Com mais de 50 anos de experiência no mercado imobiliário, a gente sabe que comprar um apartamento muitas vezes parece ser algo impossível para muitos brasileiros. Por isso, a nossa missão é colocar a conquista da casa própria ao seu alcance.

Acredite, com as nossas condições exclusivas somadas a grande parceria que temos com o programa Casa Verde e Amarela, o substituto do Minha Casa Minha Vida, você consegue ter o seu cantinho.

Nós já realizamos o sonho de mais de 120 mil famílias, provando que ter um imóvel próprio é possível. Para ajudar cada vez mais brasileiros, estamos presentes em capitais e regiões metropolitanas de nove estados do país. Existem apartamento à venda em São Paulo, Bahia, Ceará, Pernambuco, apartamentos à venda no Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Paraná, Goiás e Minas Gerais.

Além de mais de 50 lojas físicas nos nove estados em que atuamos, também oferecemos a comodidade da Loja Virtual Tenda, um ambiente seguro e com todas as informações que você precisa para conquistar o seu imóvel. No nosso site, você encontra ferramentas como o Simulador de Financiamento e a Calculadora dos Sonhos que te ajudam no planejamento da compra.

Conte com a gente para realizar o sonho de ter o seu apartamento! Estamos prontos para tirar as suas dúvidas e te acompanhar durante todo o processo.

 

Loja Virtual Tenda
Spotify Blog da Tenda
Autor do Post | Tenda Blog
Escrito por:

Tenda

Saia do aluguel e conquiste seu apartamento. Dê o primeiro passo agora mesmo.


Deixe o seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

(0) Comentários
Este artigo ainda não possui comentário. Seja o primeiro.