COMO FUNCIONA O FINANCIAMENTO PELA CAIXA?

Guia da Tenda

O financiamento pela Caixa Econômica Federal é uma das primeiras opções para quem quer financiar um imóvel. Isso porque, são diversas opções de crédito habitacional da Caixa com valores acessíveis e muito populares. Contudo, na hora de comprar um imóvel, uma das principais dúvidas dos compradores é: como funciona o financiamento pela Caixa?

Loja Virtual Tenda
Spotify Blog da Tenda

Então, se você está à procura de um imóvel e quer saber mais como funciona o financiamento imobiliário da Caixa, descubra os detalhes dessa operação neste artigo.

O que é um financiamento imobiliário?

Foto de pessoas assinando um contrato de financiamento de casa | O que é financiamento imobiliário | Guia da Tenda | Blog da Tenda

Antes de tudo, o primeiro passo para entender como funciona o financiamento da Caixa é saber o que é um financiamento imobiliário. Para esclarecer, o financiamento imobiliário é um empréstimo destinado a compra de um imóvel; seja casa, terreno ou apartamento.

De modo geral, o financiamento imobiliário é uma opção de crédito muito comum utilizada pelos brasileiros que querem comprar a casa própria. Normalmente, o financiamento de imóveis é uma linha de crédito habitacional que permite que as pessoas consigam comprar seu imóvel próprio à vista e parcelar o empréstimo a longo prazo. No entanto, como existem pessoas que não possuem a quantia suficiente para comprar o imóvel à vista, o financiamento imobiliário é uma boa opção.

Geralmente, o financiamento de imóveis funciona assim: o solicitante possui o valor de entrada do imóvel (cerca de 20% a 30% do valor total da propriedade) e pede o financiamento do custo restante do bem. Depois da aprovação do crédito habitacional, o comprador do imóvel assina o contrato de financiamento com o banco.

O banco, por sua vez, compra a propriedade e o cliente vai pagando as parcelas do financiamento com juros e seguros embutidos no valor das prestações. Vale lembrar que o financiamento é um processo que pode durar muitos anos. Enquanto o solicitante do financiamento não quitar a dívida, o banco mantém a posse do imóvel, processo conhecido como alienação fiduciária.

Por outro lado, existe a possibilidade de outros financiamentos que se enquadram nos programas habitacionais do Governo Federal como o Casa Verde e Amarela (o substituto do Minha Casa Minha Vida). Além disso, no Brasil, os financiamentos feitos pela Caixa Econômica Federal (CEF) são os mais requisitados. Isso porque, é um dos maiores bancos operadores de financiamento de imóveis, sendo extremamente importante para o mercado imobiliário.

Como funciona um financiamento imobiliário?

Foto de uma mulher negra com dúvida e pesquisando na internet | Como financiar um imóvel | Guia da Tenda | Blog da Tenda

A princípio, o financiamento imobiliário pode variar de banco para banco. Contudo, existem etapas semelhantes no processo na maioria das instituições financeiras, inclusive na Caixa Econômica Federal. Basicamente, o financiamento imobiliário funciona da seguinte maneira: o solicitante paga um valor de entrada na compra do imóvel e solicita um empréstimo do custo restante para um banco ou instituição financeira. Depois da apresentação dos documentos exigidos, o solicitante deve aguardar a análise de crédito feita pelo banco.

É com base nesse processo de análise, que o banco avalia se o comprador tem condições de arcar com o pagamento do financiamento. Em seguida, após a aprovação do crédito, o comprador deve pagar a dívida mensalmente através de prestações com taxas e juros embutidos. Hoje em dia no Brasil, contamos com dois principais sistemas de financiamento habitacional, o Sistema Financeiro Imobiliário (SFI) e o Sistema Financeira do Habitação (SFH).

O primeiro sistema, o SFI permite a negociação entre indivíduos e empresas. Isso quer dizer que, você pode negociar diretamente com o banco, ou instituição financeira e construtora do seu novo imóvel. Já no SFH, é o Governo Federal que define as regras desse sistema, que normalmente, estipula limites de preços e o Custo Efetivo Total.

O que é o financiamento pela Caixa?

Foto de uma pessoa segurando um celular com o logo da Caixa Econômica Federal | Como financiar um imóvel na Caixa | Guia da Tenda | Blog da Tenda

O financiamento pela Caixa é uma linha de crédito habitacional que oferece às pessoas recursos para comprarem um imóvel novo ou usado a longo prazo. Sobretudo, a Caixa Econômica Federal conta com taxas de juros acessíveis e prazo de até 35 anos para o pagamento do financiamento.

Vale ressaltar que a Caixa Econômica Federal (CEF), é uma instituição financeira pública, com autonomia administrativa e patrimônio próprio. Contudo, a Caixa possui vínculo ao Ministério da Economia do Brasil, sendo assim, responsável pela gestão de muitos projetos de ordem financeira do país.

É por esse motivo que a Caixa Econômica Federal administra a maioria dos programas governamentais. Um deles é o programa habitacional Casa Verde e Amarela, que conta com os recursos também do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço, um benefício administrado também pela Caixa Econômica Federal. Na sequência, confira mais detalhes sobre o financiamento imobiliário da Caixa.

Quais são as regras do financiamento da Caixa?

Foto de um celular com a imagem do aplicativo da Caixa Econômica Federal | O que é o financiamento da Caixa | Guia da Tenda | Blog da Tenda

De modo geral, a Caixa Econômica Federal é o maior concessor de crédito imobiliário do Brasil. Geralmente, a maioria das instituições financeiras existem regras específicas para o seus financiamentos. No entanto, as exigências da Caixa são mais flexíveis. Assim, mais pessoas são aptas para receber os recursos do financiamento da Caixa.

Contudo, uma das regras mais importantes do financiamento pela Caixa é que as parcelas não podem ser maiores que 30% da renda familiar mensal bruta. Porém, para quem é casado ou vive uma união estável, é possível fazer a composição de renda através da soma dos salários do solicitante e do cônjuge. Assim, a compra do imóvel não irá desequilibrar o orçamento familiar e facilite a liberação do financiamento da Caixa.

Entretanto, é preciso comprovar o estado civil (certidão de casamento ou união estável) e apresentar os comprovantes de renda. Além disso, você não pode estar com restrições no seu CPF, ou seja, com o “nome sujo” em serviços de proteção ao crédito, como o SPC e o Serasa. Se for o seu caso, é melhor limpar o seu CPF antes de solicitar o financiamento pela Caixa para evitar uma possível reprovação de crédito por parte do banco.

Além disso, você não pode ter utilizado o saldo do seu FGTS para outro financiamento habitacional. Aliás, falando do imóvel, a propriedade que será financiada deve estar localizada na cidade onde você mora ou trabalha há pelo menos um ano. Outro ponto importante, é que o bem não pode ter sido financiado com recursos do FGTS nos últimos 3 anos. A seguir, confira mais detalhes de como funciona o financiamento de imóveis pela Caixa Econômica Federal.

Principais etapas do financiamento pela Caixa Econômica Federal

Para financiar um imóvel pela Caixa Econômica Federal é preciso seguir alguns passos essenciais. Assim, o processo de compra da sua casa própria será mais facilitado. A seguir, confira o passo a passo de como funciona o financiamento da Caixa.

Faça uma simulação de financiamento

Foto de uma mulher fazendo as contas e pesquisando na internet | Faça simulações de financiamento | Guia da Tenda | Blog da Tenda

De início, uma vantagem que a tecnologia nos proporciona é a existência de diversos simuladores de financiamento. Isso porque, são ferramentas que permite você ter uma visão das condições de pagamento que terá nos próximos anos.

Desse modo, o Simulador da Caixa tem uma boa funcionalidade e apresenta os valores bem aproximados dos custos reais de um contrato de financiamento. Ao fazer a simulação no site da Caixa, você vai conseguir visualizar o valor das parcelas, a quantia que vai ser necessária oferecer para o valor da entrada e as taxas que são inclusas no custo do imóvel.

Já a Construtora Tenda conta com uma ferramenta poderosa, o Simulador de Financiamento. Sobretudo, essa ferramenta é fácil de usar, pois com ele, você terá as informações necessárias para tomar as decisões certas na hora de comprar seu imóvel.

No Simulador da Tenda você vai descobrir os valores aproximados das parcelas do financiamento, se tem direito ao subsídio do governo (benefício do programa Casa Verde e Amarela), qual valor de subsídio você pode conquistar e o preço do apartamento que cabe no seu orçamento.

Por isso, independentemente do simulador que você for escolher, fazer as simulações de financiamento é essencial no processo de compra de um imóvel. É dessa forma que você terá uma noção dos possíveis custos de um financiamento.

Escolha o imóvel para financiar pela Caixa

Foto de um casal pesquisando na internet | Pesquise o imóvel que quer financiar | Guia da Tenda | Blog da Tenda

Em segundo lugar, é preciso escolher o imóvel para ser financiado pela Caixa. Isso porque, não dá para tomar qualquer decisão sem primeiro saber se a propriedade está disponível para compra e se aceita um financiamento.

Por isso, pesquise nos sites de construtoras conceituadas, como a Tenda, que tem mais de 50 anos de mercado. Depois, faça uma análise de casas ou apartamentos que atendam às necessidades da sua família. Além disso, não se esqueça de considerar a localização, o tamanho do imóvel e outros critérios importantes que podem afetar diretamente o valor do imóvel.

Sendo assim, ao saber qual imóvel para financiar, é possível ter uma ideia da quantia que você precisará dar de entrada (cerca de 20% do custo total do bem) e o valor restante que precisará ser financiado.

Separe a documentação necessária para o financiamento pela Caixa

Certamente, ao saber que o valor do imóvel não vai comprometer seu orçamento, é preciso conferir a documentação exigida pela Caixa para fazer o financiamento imobiliário. Então, procure uma agência da Caixa Econômica e verifique qual é a lista de documentos. Normalmente, os documentos exigidos para financiamento na Caixa são os seguintes:

  • Documentos pessoais de identidade (RG ou Carteira Nacional de Habilitação);
  • CPF;
  • Comprovante de estado civil (Certidão de casamento, divórcio ou união estável);
  • Extrato do Fundo de Garantia;
  • Comprovante de endereço;
  • Declaração de Imposto de Renda;
  • Comprovante de rendimentos (documento para fazer a declaração de Imposto de Renda);
  • Carteira de trabalho;
  • Comprovante de renda.

No entanto, os documentos que são considerados como comprovantes de renda, dependem da colocação profissional do cliente. Por exemplo, se for um assalariado, trabalhador com carteira assinada, os últimos holerites são o suficiente, juntamente da carteira de trabalho. Já para trabalhadores autônomos, empreendedores, MEI’s e empresários, os documentos exigidos são: pró-labore, Decore, RPA e até mesmo extratos bancários. Além disso, para quem tem renda informal, o ideal é apresentar extratos bancários que comprovem movimentação financeira.

Vale ressaltar que se você tem saldo no FGTS, é possível utilizá-lo como valor de entrada no financiamento do imóvel pela Caixa. Quanto maior for a quantia de entrada, menor serão os custos das parcelas do financiamento e por consequência dos juros.

Aguarde a análise de crédito e a pré-aprovação

Foto de uma jovem pesquisando na internet | Como funciona a análise de crédito de financiamento imobiliário | Guia da Tenda | Blog da Tenda

Normalmente, essa é uma das etapas que gera muita ansiedade no solicitante. Então, o primeiro ponto é respirar fundo. Isso porque, a Caixa Econômica Federal costuma demorar pelo menos uns cinco dias úteis para dar a resposta da pré-aprovação do financiamento.

Assim, se sua solicitação for aprovada, você receberá os detalhes da compra como prazo do pagamento do financiamento, valor de entrada, possível utilização de benefícios de programas habitacionais, como o Casa Verde e Amarela e as taxas de juros. Por fim, não se esqueça de conferir todos os detalhes do contrato e do processo de financiamento pela Caixa.

Espere pela avaliação técnica do imóvel feita pelos profissionais da Caixa

É nessa etapa que uma equipe de profissionais da CEF (Caixa Econômica Federal) avalia se o imóvel que você escolheu está regularizado. Logo, esses profissionais analisarão os documentos do vendedor e se a propriedade está dentro dos requisitos do financiamento da Caixa. Geralmente, o laudo final desta etapa é concluído cerca de 15 dias, seguido da aprovação do financiamento e da assinatura do contrato.

Assine o contrato de financiamento com o banco

Depois de todos esses passos, é chegado o grande dia de ir à Caixa e assinar o contrato de financiamento da sua casa própria. Então, tanto comprador quanto o vendedor do imóvel devem ir à agência da Caixa para formalizarem tudo.

Desse modo, o novo dono do imóvel deve registrar a casa ou o apartamento no Cartório de Registro de Imóveis. Vale lembrar que, este é um dos custos adicionais, além do financiamento, que pode variar de estado para estado.

Contudo, na Loja Virtual da Tenda, todo o processo de escolha do apartamento, depois a pré-aprovação do financiamento e por fim a assinatura do contrato é totalmente online.  Para saber mais detalhes de como funciona a Loja Virtual da Construtora Tenda, confira o vídeo a seguir.

Pagamento das prestações

Depois da conclusão do processo de financiamento pela Caixa, agora é o momento de fazer o pagamento das parcelas do crédito habitacional. Assim, ao longo do prazo estabelecido pelo contrato de financiamento da Caixa, as prestações deverão ser pagas mensalmente. Saiba, é possível contar com a facilidade do débito automático em conta ou até mesmo imprimir os boletos pelo site da Caixa ou pelo aplicativo Habitação Caixa.

Sendo assim, não deixe de fazer os pagamentos das parcelas do financiamento, pois com o atraso de até três prestações a Caixa pode tomar seu imóvel. Então, fique atento ao pagamento e no caso de algum aperto financeiro, procure a agência que você fechou o contrato para verificar uma renegociação, ou até mesmo a pausa na cobrança do financiamento por alguns meses.

Gestão do financiamento imobiliário pela Caixa

Caso você receba um dinheiro extra ao longo do financiamento da Caixa, saiba que é válido investir essa quantia na amortização das parcelas. Além disso, é possível também utilizar o saldo do FGTS para amortizar no valor das prestações, no saldo devedor ou no prazo do financiamento. Para isso, acesse o site da Caixa ou aplicativo Habitação Caixa e faça a simulação de amortização e veja o quanto você poderá reduzir no seu financiamento.

Principais critérios do financiamento pela Caixa Econômica Federal

Foto de uma pessoa segurando o celular com logo da Caixa Econômica Federal | Quais são os critérios para financiar um imóvel | Guia da Tenda | Blog da Tenda

Inicialmente, se você for comprar um terreno, imóvel novo, usado ou em construção, a Caixa Econômica Federal conta com alguns critérios para os serviços de habitação. Por isso, é muito importante que você saiba os detalhes antecipadamente, para assim escolher a melhor modalidade de financiamento Caixa. Então, confira a seguir os principais requisitos do financiamento imobiliário pela Caixa:

  • As parcelas do financiamento imobiliário do solicitante de ser no máximo 30% da sua renda familiar mensal bruta;
  • A Caixa financia até 80% do valor do imóvel para os financiamentos pelo Sistema SAC (Sistema de Amortização Constante) e até 70% para o tipo Tabela Price;
  • O valor máximo de financiamento liberado pela Caixa é de R$ 1,5 milhão para os contratos de financiamento pelo Sistema Financeiro de Habitação (SFH). Já para o SFI (Sistema Financeiro Imobiliário), não há limite de valor a ser financiado;
  • O prazo máximo de financiamento da Caixa para os contratos SAC é de 360 meses e para o financiamento feito no modelo PRICE é de 240 meses;
  • O solicitante pode escolher os diferente métodos de aplicação da taxa de juros. Sendo eles, prefixado (de 8% a 9,75%); de 6,5% a 8,5% mais a Taxa Referencial (TR), e por fim, 2,95% a 4,95% + IPCA que é a taxa de inflação.

Em seguida, descubra quem pode contratar um financiamento Caixa. Confira!

Quem pode contratar um financiamento pela Caixa?

Foto de um homem pesquisando na internet | Quem pode solicitar o financiamento de imóveis | Guia da Tenda | Blog da Tenda

O financiamento pela Caixa é um crédito habitacional acessível para diversos tipos de pessoas, principalmente para as famílias de baixa e média renda. Contudo, para solicitar um financiamento imobiliário da Caixa é preciso atender alguns requisitos para solicitação do empréstimo habitacional. Na sequência, confira as condições para pedir o financiamento pela Caixa:

  • Ter mais de 18 anos;
  • Naturalizado no Brasil;
  • Para estrangeiros, ter visto de residência permanente no Brasil;
  • Comprovante de renda atualizado;
  • Não pode ter restrições no CPF (negativado ou “nome sujo”).

Assim, atendendo os requisitos mínimos exigidos pela Caixa Econômica Federal, é possível pedir o financiamento. Então, por meio de uma análise de perfil, a Caixa vai indicar a melhor modalidade de crédito que se encaixa na sua realidade financeira.

No entanto, as famílias com baixa renda recebem melhores condições do Governo Federal através de programas habitacionais, como o Casa Verde e Amarela (substituto do Minha Casa Minha Vida). A seguir, conheça os tipos de financiamento imobiliário da Caixa Econômica Federal.

Quais são os tipos de financiamento imobiliário pela Caixa?

De modo geral, os financiamentos de imóveis oferecidos pela Caixa Econômica Federal são destinados para compra exclusiva de moradias em construção, usadas ou novas, além de terrenos. Normalmente, o crédito habitacional liberado do financiamento pela Caixa utiliza os recursos do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) ou do Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE). Nesse sentido, confira os tipos de financiamento imobiliário da Caixa.

Financiamento Caixa pelo FGTS

Foto do logo do FGTS no celular e no notebook | Como usar o FGTS para financiar imóvel | Guia da Tenda | Blog da Tenda

De início, o financiamento imobiliário da Caixa que utiliza os recursos do FGTS faz parte do Sistema Financeiro de Habitação (SFH). No entanto, esse tipo de crédito habitacional tem algumas condições para o comprador e para o imóvel. Confira.

Para o comprador

  • Precisa ter no mínimo três anos de registro em carteira sob o regime do FGTS. O tempo de trabalho pode ser consecutivos ou não, na mesma ou em empresas diferentes;
  • Não pode ter nenhum financiamento ativo no Sistema Financeiro de Habitação (SFH), em qualquer região do Brasil;
  • Não pode ser dono de nenhum imóvel.

Para o imóvel

  • O valor máximo da avaliação deve ser de até R$1.500.000,00 para todos os estados brasileiros;
  • Deve ser um imóvel residencial urbano;
  • A propriedade é destinada para moradia do solicitante;
  • A avaliação final do imóvel deve apresentar o laudo de plenas condições de habitualidade e ausência de vícios de construção;
  • O bem deve estar matriculado no Cartório de Registro de Imóveis da região onde está localizado;
  • O imóvel não pode ter sido financiado com a utilização do FGTS há menos de três anos, contados a partir da data do registro na matrícula do imóvel.

Vale lembrar que o financiamento pelo FGTS tem taxas de juros mais baixas que o financiamento através do SBPE, porém obedecendo um limite. Por fim, para saber mais regras sobre a utilização do FGTS no financiamento, confira o vídeo a seguir.

Financiamento Caixa pelo SBPE

Inicialmente, o SBPE (Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo) é um tipo de linha de financiamento, oferecida por bancos privados e públicos. É um modelo de financiamento destinado para a compra de imóveis, com prazo de quitação de até 35 anos. Assim, como o próprio nome diz, o sistema é ofertado pelos bancos através dos recursos da caderneta de poupança para o crédito imobiliário.

Todavia, o financiamento feito através do SBPE (Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo), não há limite de renda. Além do mais, quando o valor do imóvel financiado é feito pelo Sistema Financeiro de Habitação, as taxas de juros não podem ser maiores a 12% ao ano. Porém, se o financiamento é feito pelo SBPE, fora dos limites do SFH, essas taxas de juros podem ser maiores que 12%.

Financiamento através de construtoras

Foto de duas pessoas fechando negócio | Como funciona o financiamento de imobiliário pela construtora | Guia da Tenda |Blog da Tenda

De modo geral, os financiamentos feitos diretamente com as construtoras oferecem mais flexibilidade para a negociação. Isso porque, não há limites com relação a valores financiados, renda ou taxas de juros.

Contudo, neste tipo de financiamento, existem riscos para os compradores. Porque, as construtoras normalmente financiam a construção de casas ou apartamentos com algum banco. Logo, o imóvel que será comprado está hipotecado com este banco.

Isso quer dizer que, caso a construtora venha falir e deixar uma dívida com o banco, o consumidor pode perder o imóvel. Por isso, antes de contratar esse tipo de financiamento, é importante visitar outros empreendimentos da construtora e verificar se ela tem alguma irregularidade com a Justiça.

Financiamento Caixa atrelado a poupança

Foto de um cartão da conta poupança Caixa | Como funciona o financiamento pela poupança Caixa | Guia da Tenda | Blog da Tenda

A linha de crédito habitacional atrelada à poupança foi lançada em 2020 pela Caixa Econômica Federal. Essa modalidade de financiamento tem sido um sucesso, pois conta uma taxas de juros que foram reduzidas nos em outubro de 2021. Em especial, essa linha de crédito imobiliário permite o financiamento de até 80% do valor do imóvel.

Além disso, essa modalidade de financiamento atrelado a poupança traz juros a partir de 2,95% ao ano + rendimento da caderneta de poupança, que tem como base o índice da Selic, taxa básica do país. Para exemplificar, funciona assim: quando a Taxa Selic está abaixo de 8,5% ao ano, o rendimento da poupança é de 70% da Selic + TR (Taxa Referencial), e se a taxa básica ultrapassa esse índice de 8,5%, o rendimento passa a ser de 0,5% ao mês + TR.

Vale destacar que você pode sempre conferir o índice atualizado das taxas acima no site oficial do Banco Central, órgão responsável por regular a Selic.

Financiamento Caixa atrelado ao IPCA

O financiamento atrelado ao IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo), é uma exclusividade da Caixa Econômica Federal. Isso porque, as taxas de juros desse tipo de financiamento são corrigidas de acordo com o principal medidor da inflação brasileira, o IPCA. No momento, é possível encontrar juros a partir de 3,55% ao ano + IPCA nesse tipo de financiamento. Lembre-se, fique sempre atento aos índices do IPCA ao avaliar essa linha de crédito habitacional.

Um ponto importante é que essa modalidade de financiamento da Caixa permite que você financie até 80% do valor total do imóvel. Aliás, as parcelas do financiamento não podem ultrapassar 30% da sua renda mensal, conforme a lei Nº 8.692 .

Financiamento Caixa com a taxa de juros pré-fixada

Foto de notas de reais e um relógio de ponteiro | O que é financiamento pré-fixado | Guia da Tenda | Blog da Tenda

O financiamento Caixa com taxa de juros pré-fixada é também um produto recente da CEF. Assim, como o próprio nome diz, essa linha de crédito trabalha com os juros fixos. Além disso, essa modalidade de crédito permite o financiamento de até 80% do valor do imóvel.

Contudo, mesmo que esse tipo de financiamento da Caixa traga uma maior estabilidade ao longo do pagamento das prestações, os valores das taxas podem ser mais altos. Um bom exemplo é que com o aumento a taxa Selic, os financiamentos Caixa neste modelo sofreram um reajuste ao longo dos últimos meses. Por isso, avalie se esse tipo de modalidade é ideal para o seu orçamento.

Financiamento Caixa atrelado a Taxa Referencial

Foto da fachada do Banco Central do Brasil | Como funciona o financiamento pela Taxa Referencial | Guia da Tenda | Blog da Tenda

A linha de financiamento imobiliário da Caixa atrelada a Taxa Referencial permite que o solicitante financie até 80% do valor do imóvel. Na prática, os financiamentos imobiliários utilizam a TR (Taxa Referencial) para atualizar o valor do financiamento. Com isso, o valor a ser pago passa ser determinado pela soma entre e Taxa Referencial mais o custo dos juros fixos determinados no contrato do financiamento.

Contudo, a Taxa Referencial não está mais zerada e é atualizada diariamente pelo Banco Central. Porém, a variação da TR é pequena, o que acaba influenciando um pouco no resultado final do financiamento. Assim, como já foi mencionado anteriormente, é preciso analisar qual tipo de financiamento Caixa se encaixa no seu orçamento.

Financiamento Caixa com o Programa Casa Verde e Amarela

Foto de um celular com logo do Casa Verde e Amarela e um painel de fundo com o logo da Caixa Econômica Federal | Financiamento Casa Verde e Amarela através da Caixa | Guia da Tenda | Blog da Tenda

Criado em 2020 para substituir o Minha Casa Minha Vida, o Casa Verde e Amarela é o programa habitacional do Governo Federal. Em especial, o objetivo do programa é facilitar o financiamento da casa própria para as famílias com renda mensal de até R$7 mil. Logo, o Casa Verde e Amarela é um ótimo aliado para quem deseja financiar um imóvel com condições de pagamento e taxas de juros ainda mais acessíveis.

Vale destacar que nesta opção de financiamento Caixa, as condições de pagamento são definidas de acordo com a renda familiar mensal bruta do cliente. Assim, o Casa Verde e Amarela é divido em grupos de renda para determinar as taxas de juros praticadas e demais vantagens. Portanto, confira a seguir as faixas de renda e taxas de juros do Casa Verde e Amarela.

Faixas de renda e taxas de juros do Casa Verde e Amarela

Imagem das Taxas de Juros Casa Verde e Amarela | Quais são os juros do Casa Verde e Amarela | Guia da Tenda | Blog da Tenda

A princípio, para atingir o maior número de brasileiros beneficiados com as vantagens do Casa Verde e Amarela, o programa é organizado em três grupos de renda. São eles:

  • Grupo 1: destinado às famílias com renda mensal de até R$2.400. para quem mora nas regiões Norte e Nordeste, as taxas de juros são de 4,25% a 4,5% ao ano para cotistas do FGTS e de 4,75% a 5% ao ano para não cotistas. Já para os moradores de outras regiões do Brasil, os juros são de 4,5% a 4,75% para cotistas do FGTS e de 5% a 5,25% para os não cotistas.
  • Grupo 2: o segundo grupo atende famílias com renda mensal entre R$2.400,01 e R$4 mil. As taxas de juros apresentadas para os moradores das regiões Norte e Nordeste são de 4,75% a 6,5% ao ano para cotistas do FGTS e de 5,25% a 7% ao ano para não cotistas. Para as demais regiões brasileiras, as taxas de juros são de 5% a 6,5% aos cotistas do FGTS, e para não cotistas, de 5,25% a 7% ao ano.
  • Grupo 3: grupo voltado para famílias com renda mensal entre R$4.000,01 mil e R$7 mil. Atualmente, as taxas de juros são iguais em todo o Brasil para os participantes desse grupo. Logo, os índices são de 7,16% ao ano para cotistas do FGTS e de 8,16% para não cotistas.

Outros benefícios do Casa Verde e Amarela

Sobretudo, o Casa Verde e Amarela conta com outras vantagens, além das taxas de juros mais baixas do mercado imobiliário. Entre os benefícios temos os seguintes:

  • Subsídio: valor dado pelo Governo Federal para facilitar a compra do imóvel. Esse valor funciona como um desconto no valor total do imóvel, deixando o financiamento e as parcelas mais baratos. A quantia não precisa ser quitada ou devolvida ao Governo Federal.

Imagem sobre os valores do subsídio Casa Verde e Amarela | Quais são os valores de subsídio | Minha Casa Minha Vida | Blog da Tenda

  • Composição de Renda: é a soma dos salários de duas ou mais pessoas, sejam familiares ou amigos, para financiar um imóvel. Através desse benefício, aumentam as chances de ter a aprovação do financiamento.
  • FGTS: o Fundo de Garantia por Tempo de Serviço pode ser utilizado como valor de entrada do imóvel, e até mesmo na amortização das parcelas. Além do mais, ajuda também na negociação e condições do financiamento.

Além disso, o programa Casa Verde e Amarela oferece também a possibilidade de utilizar os recursos do financiamento para a regularização de imóveis e a realização de reformas de moradias já existentes. Isso porque, a meta do Governo Federal é regularizar 2 milhões de habitações e promover melhorias em 400 mil imóveis até 2024.

Dicas para conseguir a aprovação do financiamento pela Caixa

A compra da casa própria é o sonho de muitos brasileiros e sabemos que esse momento pode gerar muita ansiedade e uma certa apreensão. Então, para te ajudar a tornar esse processo mais ágil, confira as dicas abaixo para conseguir a aprovação do financiamento Caixa:

  • Mantenha o nome limpo;
  • Reúna os documentos antecipadamente;
  • Tenha reservado um bom valor de entrada.

Assim, seguindo basicamente esses passos, a probabilidade de aprovação no financiamento Caixa aumenta.

O que pode atrapalhar na aprovação do financiamento pela Caixa?

Antes de tudo, existem diversos motivos que podem contribuir para a reprovação de um financiamento imobiliário. De modo geral, alguns financiamentos são liberados de acordo com uma determinada renda mensal. Por esse motivo, nem todos conseguem financiar a casa própria. No entanto, para te ajudar a evitar possíveis erros que podem interferir na liberação do financiamento Caixa, confira alguns detalhes que podem te impedir atrapalhar neste processo.

  • Problemas com a Receita Federal – o principal motivo é a falta de declaração do Imposto de Renda.
  • Restrições no CPF – ter o nome cadastrado nos Serviços de Proteção ao Crédito, como Serasa e o SPC. Ou seja, “nome sujo”.
  • Fonte de renda – se sua renda não for o suficiente para financiar um imóvel.
  • Comprometimento financeiro – outras dívidas que comprometem sua renda. Isso porque, o valor das parcelas do financiamento não pode ser maior que 30% da sua renda mensal familiar. Se você tiver outras dividas, esse valor fica cada vez mais comprometido.
  • Cadastro de Emitentes de Cheques sem Fundo (CCF) do Banco Central – se você fez algum pagamento com cheque sem fundo, saiba que é melhor resolver essa pendência. Isso porque, esse débito fica registrado no CCF que pertence ao Banco Central.
  • Não ter histórico financeiro – ter score de crédito negativo impede que seu financiamento seja aprovado. Para consultar o seu score, acesse o site do Serasa.
  • Ocultar informações – não tente ocultar ou modificar dados dos formulários do financiamento. Seja transparente em todo o processo de cadastro do financiamento.

O que fazer caso o financiamento da Caixa não for aprovado?

Antes de mais nada, se o seu pedido de financiamento da Caixa foi negado, o primeiro passo é entender quais foram os motivos que ocasionaram a reprovação. Ou seja, pode ter sido nome sujo, problemas com a Receita Federal ou INSS, entre outras questões. Depois, sabendo qual foi o motivo, procure resolver as pendências que resultaram na reprovação do financiamento. Assim, com tudo certinho, solicite um novo crédito habitacional em 6 meses após o primeiro pedido.

Então, com todas essas informações você pode escolher um apartamento e financiar seu novo lar pela Caixa Econômica Federal. Aqui na Tenda, você pode financiar os apartamentos da construtora através do financiamento da Caixa. Confira agora as opções de apartamentos à venda e escolha já o seu novo lar.

Sobre a Tenda

Tenda é uma das maiores construtoras do Brasil e uma das empresas que integram a Bolsa de Valores de São Paulo. Listada no Novo Mercado da B3, a companhia tem o mais alto nível de governança corporativa do país.

Com mais de 50 anos de experiência no mercado imobiliário, a gente sabe que comprar um apartamento muitas vezes parece ser algo impossível para muitos brasileiros. Por isso, a nossa missão é colocar a conquista da casa própria ao seu alcance.

Acredite, com as nossas condições exclusivas somadas a grande parceria que temos com o programa Casa Verde e Amarela, o substituto do Minha Casa Minha Vida, você consegue ter o seu cantinho.

Nós já realizamos o sonho de mais de 120 mil famílias, provando que ter um imóvel próprio é possível. Para ajudar cada vez mais brasileiros, estamos presentes em capitais e regiões metropolitanas de nove estados do país. Existem apartamento à venda em São Paulo, Bahia, Ceará, Pernambuco, apartamentos à venda no Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Paraná, Goiás e Minas Gerais.

Além de mais de 50 lojas físicas nos nove estados em que atuamos, também oferecemos a comodidade da Loja Virtual Tenda, um ambiente seguro e com todas as informações que você precisa para conquistar o seu imóvel. No nosso site, você também encontra ferramentas como o Simulador de Financiamento e a Calculadora dos Sonhos que te ajudam no planejamento da compra.

Conte com a gente para realizar o sonho de ter o seu apartamento! Estamos prontos para tirar as suas dúvidas e te acompanhar durante todo o processo.

 

Loja Virtual Tenda
Spotify Blog da Tenda
Autor do Post | Tenda Blog
Escrito por:

Tenda

Saia do aluguel e conquiste seu apartamento. Dê o primeiro passo agora mesmo.


Deixe o seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

(0) Comentários
Este artigo ainda não possui comentário. Seja o primeiro.