É aquele famoso ditado: imprevistos acontecem. Muitas vezes, esses imprevistos podem estar ligados as finanças, como gastos com médico e em casos de demissão. Nesse sentido, a reserva de emergência é a quantia financeira que pode te ajudar nesses momentos.

Mas afinal, o que é uma reserva de emergência? Como montar uma? Quanto guardar? Se você está procurando a resposta dessas perguntas, veio ao lugar certo! O Eu Dou Conta preparou um conteúdo completo sobre o assunto para te ajudar. Confira!

O que é uma reserva de emergência?

O que é reserva de emergência | Foto de um homem fazendo contas e pesquisando na internet | Economia e renda extra | Eu Dou Conta

A reserva de emergência funciona como uma poupança com o objetivo de guardar dinheiro para estar preparado caso algum imprevisto aconteça, como uma demissão ou um gasto inesperado.

Ela deve cobrir o seu custo de vida caso você perda a sua renda fixa ou tenha gastos muito elevados. Na mesma linha, o mais indicado é que a sua reserva tenha de seis meses a um ano do seu salário.

Uma das formas mais seguras de estar preparado para imprevistos e até mesmo problemas é ter uma reserva de emergência. Um exemplo disso é a pandemia de Covid-19, que reforçou a importância desse “pé de meia”.

Só para esclarecer, cerca de 44% dos brasileiros declararam ter uma reserva de emergência em 2020. Em 2021, o número subiu para 57%, mostrando a importância de guardar dinheiro para imprevistos, segundo a fintech Neon.

Acima de tudo, formar uma reserva de emergência é um dos primeiros passos para ter uma vida financeira mais equilibrada, evitando problemas como dívidas acumuladas e nome sujo.

Para que serve a reserva de emergência?

Para que serve a reserva de emergência | Foto de uma Mulher olhando preocupada para as contas | Economia e renda extra | Eu Dou Conta

A reserva de emergência é um valor que todo mundo deveria ter guardado. Mas, se você acha que com o seu salário não é possível montar sua reserva, nós vamos mostrar algumas opções para te ajudar a fazer isso!

O foco da reserva de emergência é montar seu próprio fundo ou poupança contra gastos inesperados. A seguir, veja alguns exemplos de como a reserva de emergência pode te ajudar:

  • Períodos de desemprego;
  • Gastos médicos não cobertos pelos planos de saúde;
  • Consultas veterinárias de urgência para seu pet;
  • Manutenção ou reformas imediatas em sua casa ou para seu carro;
  • Mudança de cidade, estado ou país;
  • Viagens não planejadas ou por necessidade (motivos familiares, por exemplo);
  • Dívidas e nome sujo;
  • Despesas com burocracias.

É comum que muitas pessoas confundam o objetivo da reserva financeira. Em outras palavras, esse dinheiro é destinado para quando você precisar, e não para quando você quiser gastar, certo?

Reserva de emergência: quanto guardar?

Quanto economizar por mês | Foto de uma calculadora e uma caneta | Economia e renda extra | Eu Dou Conta

Em primeiro lugar, a reserva de emergência não é um valor que você precisa levantar da noite para o dia. Por isso, tenha calma antes de pensar que você não consegue. Para isso, você deve definir um valor mensal para abastecê-la.

Para descobrir o quanto você precisa guardar mês a mês, os especialistas indicam que a reserva deve ter o valor dos seus gastos fixos multiplicado por uma quantia de meses, que pode ser de 6 a 18 meses do seu custo de vida atual.

Por exemplo: se as suas despesas fixas (contas de casa, supermercado, alimentação, transporte, saúde e mais) somam R$ 2.000,00 por mês, o valor da sua reserva deve ser no mínimo R$ 12.000,00.

Aqui, é importante destacar o número de meses varia de pessoa para pessoa, considerando a renda e despesas de cada um. Por isso, quanto mais instável for a sua renda, ou seja, se ela pode mudar de valor de um mês para o outro, maior deve ser a sua reserva de emergência.

Assim, como em casos de demissão repentina, as chances de você conseguir manter as contas até conseguir um novo emprego são maiores. Portanto, o cálculo da reserva de emergência também deve considerar o tempo em que você vai usar o dinheiro e quanto vai demorar para montar ela de novo.

Qual o melhor investimento para reserva de emergência?

Tipos de investimento | Foto de uma Mulher olhando feliz para o celular | Economia e renda extra | Eu Dou Conta

Agora que você já sabe o que é a reserva de emergência, quando usar e o valor necessário para manter essa quantia abastecida, é hora de entender onde você vai guardar esse dinheiro.

Antes de mais nada, vamos começar do começo. Existem diversas formas de montar uma reserva de emergência, e a “conta” onde você vai deixar esse dinheiro é essencial para te ajudar a manter esse valor.

Em primeiro lugar, é importante que o dinheiro da reserva de emergência esteja aplicado em um local diferente do dinheiro da sua conta corrente. Mas, por quê? Para não misturar os valores e acabar perdendo o foco da sua reserva.

Lembre-se: a reserva de emergência foi feita para quando você precisar, e por isso, não deve ser movimentada para compras variáveis, como roupas e lazer, por exemplo.

Além disso, o ideal é que a reserva possa ser sacada quando você precisar. No mundo dos investimentos, esse conceito é chamado de liquidez.

Para te ajudar, confira o glossário que preparamos:

  • Liquidez: é poder sacar a reserva a qualquer momento;
  • Baixo custo: não apresentar altos custos administrativos e de Imposto de Renda;
  • Segurança: oferecer mecanismos de segurança para o seu dinheiro;
  • Baixa volatilidade: não ter grandes oscilações.

Acima de tudo, você deve focar na facilidade de saque da sua reserva de emergência e não na rentabilidade (o quanto ela pode render) que ela pode apresentar.

A seguir, vamos te mostrar as opções mais recomendadas para guardar a sua reserva de emergência. Acompanhe com a gente!

Tesouro Selic

O Tesouro Selic é um título público, emitido pelo governo que remunera os investidores de acordo com a taxa Selic no momento. Possui liquidez diária, ou seja, pode ser resgatado todos os dias. Além disso, caso você tenha mais de R$ 10 mil guardados no Tesouro, a B3 não cobra a taxa de custódia da sua reserva.

CDB’s de liquidez diária

CBD significa Certificado de Depósito Bancário, que nada mais são do que títulos emitidos por bancos que seguem como referência o CDI (Certificado de Depósito Interbancário), uma taxa que determina a rentabilidade de investimentos.

Nesse sentido, é possível encontrar títulos com liquidez diária e rendimento próximo a 100% do CDI. Em outras palavras, isso significa que a sua reserva pode render o mesmo valor do CDI enquanto ficar aplicado.

Por exemplo, se o CDI for de 2,75%, o dinheiro da sua reserva vai render os mesmos 2,75% pelo período.

Fundos de Investimentos

Os Fundos de Investimentos ou Fundos de Renda Fixa conservadores investem em ativos que seguem a taxa DI – ou taxa do CDI. Também é possível aplicar a reserva em ativos de Renda Fixa com liquidez D+0 ou D+1, ou seja, em que o prazo de resgate é no mesmo dia ou no dia seguinte.

Contas digitais e carteiras remuneradas

Por fim, ainda existe a opção de deixar a sua reserva de emergência em carteiras digitais e contas-corrente remuneradas. Esse tipo de investimento funciona assim: você deixa a quantia em uma conta e ela paga uma taxa proporcional ao DI, como por exemplo, rendendo 100% do CDI.

Como montar uma reserva de emergência com dívidas?

Como montar uma reserva de emergência com dívidas | Foto de uma mulher mostrando a carteira vazia e com dívidas | Economia e renda extra | Eu Dou Conta

Se você está com algumas dívidas e até mesmo com o nome sujo e acredita que não consegue montar a sua reserva de emergência, fique calmo: você não é a única pessoa nessa situação. Mas, existe uma forma de conseguir guardar um pouquinho por mês e tentar se livrar das dívidas.

O mais recomendado é que você dê preferência ao pagamento dos débitos, que sofrem incidência de juros e podem ficar ainda maiores caso a dívida atrase mais.

Para isso, existem algumas opções:

Todas essas práticas já podem te ajudar a quitar uma conta ou outra e melhorar a situação. Porém, você não precisa deixar a reserva de emergência de lado. Depois de quitar as suas dívidas, comece a montar a sua reserva aos poucos. Aqui, a ideia é que mesmo com uma pequena quantia, você já crie esse hábito e vá guardando dinheiro.

Como fazer uma reserva de emergência?

Montar a própria reserva de emergência é muito mais do que guardar uma parte do seu dinheiro em um fundo de investimentos. Afinal, para quem tem dificuldades em juntar dinheiro, pode ser um desafio.

Mas, nós vamos te ajudar a montar a sua reserva! Confira as nossas dicas a seguir.

Conheça seus gastos

O primeiro passo para montar uma reserva de emergência é entender exatamente o quanto você ganha e gasta por mês, afinal, o valor da reserva será equivalente aos gastos fixos do seu salário multiplicados.

Por isso, saber quanto do seu dinheiro está destinado ao pagamento de contas vai te ajudar a entender a quantia necessária para colocar na reserva por mês.

Lembre-se de separar as contas fixas (aquelas que você paga todo mês) das variáveis (aquelas que são feitas uma vez ou outra) para poder estabelecer uma quantia por mês.

Abasteça sua reserva no começo do mês

As chances de você acabar deixando a sua reserva de emergência de lado são bem maiores se você deixar para aplicar essa quantia no final do mês. Afinal, pode ter sobrado pouco dinheiro ou você querer gastar esse valor com compras não tão importantes.

Ou seja, a melhor alternativa é que você guarde o dinheiro da reserva logo no começo do mês, assim que o seu salário cair. Entretanto, é necessário ter um planejamento para isso, de uma forma que essa economia não atrapalhe o pagamento das suas contas fixas.

Daí a importância de conhecer o quanto você ganha e o quanto gasta. Nesse exercício, lembre-se de separar o valor da reserva, como um compromisso que você vai ter consigo mesmo todo mês. Assim, é mais fácil não deixar de poupar e manter o pagamento das contas.

Tenha uma renda extra

A renda extra, além de ser um dinheirinho a mais no final do mês, também pode funcionar como a sua própria reserva de emergência. Por exemplo, caso você tenha um emprego principal, e queria fazer uma atividade extra, você pode aproveitar essa quantia para abastecer a sua reserva.

Para fazer uma renda extra, existem diversas opções: participar de programas de afiliados, passear com cães, fazer bolos e doces, dar aulas de inglês, entre muitas outras opções. Acima de tudo, pense em um hobby ou em um talento que você possui e comece a ganhar dinheiro extra!

Evite compras por impulso

Uma das medidas mais eficientes para conseguir juntar o valor da sua reserva de emergência a cada mês é evitar os gastos desnecessários, ou seja, aquelas compras por impulso de produtos e serviços que você não precisa tanto assim.

Para isso, evite usar o tanto o cartão de crédito e reflita antes de cada compra: você realmente precisa disso nesse momento? Será que guardar dinheiro para a sua reserva não é mais importante? Praticar esse bom hábito vai te ajudar a reduzir os custos e entender se aquele gasto é emocional ou racional.

Tenha disciplina

Montar uma reserva de emergência requer, sobretudo, tempo e disciplina. Não adianta ter um planejamento, montar um orçamento se você não seguir o que foi combinado.

Por isso, é preciso ter disciplina ao longo do caminho, e não desistir caso em algum mês você não consiga abastecer sua reserva. Lembre-se que toda mudança de hábito exige um pouco mais de esforço, e você é totalmente capaz!

Mantenha o foco no seu objetivo: a sua reserva de emergência pode te ajudar em algum momento.

Viu só como montar uma reserva de emergência é possível? Acima de tudo, tenha foco, faça um orçamento financeiro e comece a guardar dinheiro aos poucos, além de buscar opções para complementar a sua reserva, como uma renda extra.

Gostou de saber tudo sobre o tema? Então, continue de olho em nossos posts para aprender mais dicas como essa. Até!

Sobre o Eu Dou Conta

O Eu Dou Conta é uma plataforma de educação financeira que vai te ajudar a sair do vermelho, conseguir juntar uma renda extra e lidar melhor com o seu dinheiro.

Nós da Construtora Tenda criamos esse projeto para colocar ao alcance de todo brasileiro informações importantes sobre finanças. Queremos mostrar que o dinheiro não precisa ser um problema, mas sim um caminho para alcançar seus objetivos.

Por isso, nosso blog segue uma “trajetória” de conteúdos. Explicamos desde conceitos iniciais como negativação e score de crédito, até as principais dúvidas sobre dívidas, como empréstimos e cheque especial, e dicas de como economizar.

Tudo isso em uma linguagem acessível e porque não (?) divertida. Queremos que as pessoas consigam aprender, tirar suas dúvidas e, posteriormente, dar o próximo passo: talvez começar a investir, conseguir poupar ou então realizar sonhos, como o da casa própria.

A Tenda é uma grande parceira dos programas habitacionais do Governo Federal, como o Casa Verde e Amarela, substituto do Minha Casa Minha Vida. Isso quer dizer que, com a gente, o sonho da casa própria está mais próximo do que você imagina.

Pode acreditar, nós já ajudamos mais de 120 mil famílias brasileiras a conquistarem a casa própria por meio das nossas parcerias. Com mais de 50 anos de história, a Construtora Tenda está presente em 9 estados e até mesmo na B3, a Bolsa de Valores do Brasil. Aproveite para conhecer a nossa Loja Virtual e encontrar um apartamento pertinho de você.