FINANCIAMENTO REPROVADO: 6 MOTIVOS QUE PODEM REPROVAR SEU PEDIDO

Guia da Tenda

O financiamento imobiliário é uma das formas mais comuns de conquistar a casa própria. Mas é preciso estar atento: cada banco e instituição financeira tem suas próprias regras para financiar um imóvel. E algumas pessoas têm o financiamento reprovado por não atenderem requisitos importantes. Um dos motivos que mais levam à reprovação do financiamento, por exemplo, é ter o “nome sujo”.

Está sem tempo para ler agora? Então, ouça este conteúdo que está dividido em 3 partes para você! Aproveite a primeira aqui e, depois, confira as próximas no decorrer do artigo! Para ouvir é só clicar no play!

Tais, assistente virtual da Alea | Blog da Alea
Loja Virtual Tenda
Spotify Blog da Tenda

Então, para ajudar você a conseguir seu financiamento imobiliário, listamos neste artigo os principais motivos que podem reprovar um pedido de financiamento. Confira!

O que pode reprovar um financiamento imobiliário?

Financiamento reprovado, quais são os motivos | Foto de um homem irritado olhando para o celular | Guia da Tenda | Blog da Tenda

Para iniciar, o financiamento imobiliário é uma ótima alternativa para quem quer comprar um imóvel mas não tem o dinheiro para pagar à vista! Porém, como em qualquer tipo de linha de crédito, para ter o crédito liberado, é preciso atender a todas as condições que bancos ou instituições financeiras exigem no processo de financiamento.

De modo geral, existe uma série de fatores que podem ocasionar na reprovação de um financiamento imobiliário. Mas tenha calma! Listamos os 6 principais motivos para você não errar na hora. Confira todos e prepare-se para passar com louvor pela análise de crédito.

1. Não ter renda o suficiente para financiar um imóvel

A princípio, sabemos que muitas pessoas recebem um salário mínimo para sustentar a família. E justamente um dos fatores analisados no pedido de um financiamento imobiliário é o valor da renda familiar bruta.

Afinal, é com base no valor da renda que o banco vai avaliar se libera ou não o crédito para a compra do imóvel. Além disso, de acordo com a Lei Nº 8.692, o valor mensal das parcelas do financiamento não pode ultrapassar 30% da renda familiar.

O que é renda mensal bruta?

De início, renda mensal bruta é a soma do salário e demais ganhos que a pessoa recebe no final do mês. Ou seja, é todo dinheiro que a pessoa recebe de pagamento, seja por meio de salário, aluguéis, bônus, lucros, etc.

Além disso, existe a renda familiar, que é a soma dos salários de todas as pessoas que moram numa mesma casa. Por exemplo, digamos que em uma casa moram quatro pessoas e todos trabalham e recebem R$ 2.000 cada um. O valor da renda familiar dessa família é R$ 8.000.

2. Não ter o valor de entrada

O primeiro passo para financiar um imóvel é ter o valor guardado para dar de entrada no financiamento. Isso porque a maioria dos bancos financia no máximo 80% do valor do imóvel. Em outras palavras, na hora de pedir um financiamento, você precisará ter cerca de 20% a 30% do preço total do imóvel para dar à vista.

Por exemplo, digamos que você escolheu comprar um apartamento de R$ 200 mil. Então, você vai precisar ter cerca de R$ 40 mil em mãos.

Para concluir, se você não tiver o valor da entrada, o financiamento pode ser negado. Isso acontece porque esse valor deve ser pago na hora da assinatura do contrato de financiamento e, sem ele, nada de negócio.

3. Ter outros financiamentos ativos que comprometem sua renda

Outro motivo que fazer o financiamento ser reprovado é ter outros financiamentos ativos que comprometem a renda de quem vai financiar o imóvel. Em outras palavras: ter mais de um financiamento no seu nome pode reprovar a solicitação para financiar outro imóvel, porque as prestações do financiamento não podem ultrapassar 30% da renda mensal bruta.

Para o banco, com dois financiamentos ativos, o risco do candidato à compra de um imóvel se tornar inadimplente, ou seja, não pagar as parcelas do financiamento, é alto. Mesmo que a pessoa tenha uma renda extra, se não for um valor fixo mensal, o banco pode relutar para liberar o financiamento, por se tratar de uma renda variável.

4. Ter um score baixo ou negativo de crédito

Para esclarecer, o score de crédito é uma pontuação que mostra o seu perfil financeiro, logo, o score pode ser consultado por empresas e bancos quando você solicita algum tipo de crédito, como o financiamento imobiliário, por exemplo. Com as informações do seu score, as empresas avaliam se você é bom ou mau pagador de contas.

De modo geral, o score de crédito tem uma pontuação que vai de 0 a 1.000. Cada pessoa recebe uma pontuação de acordo com as seguintes informações:

  • Pagamentos de conta sem atraso;
  • Histórico de dívidas;
  • Relacionamento financeiro com empresas;
  • Dados cadastrais atualizados.

A partir daí, todos os bancos, inclusive a Caixa Econômica Federal, utilizam essa pontuação como condição para aprovar ou não o financiamento imobiliário. Então, quanto mais alto for seu score de crédito, maior é a probabilidade de você pagar suas contas em dia. Com isso, o crédito é liberado. E acredite: os casos de financiamento reprovado por causa de score baixo ou negativo são muito comuns.

5. Financiamento reprovado: ter restrições no CPF (“nome sujo”)

Hoje em dia, no Brasil existem mais de 60 milhões de pessoas inadimplentes, de acordo com a Análise Nacional de Pessoas Físicas, feita pela Confederação de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil).

Isso quer dizer que, mais de 60 milhões de brasileiros não pagaram suas contas e estão com o “nome sujo”, ou seja, com o CPF restrito. Em outras palavras, de cada dez brasileiros, quatro estão negativados.

Para ficar claro, ter o “nome sujo” é um dos principais motivos de ter um financiamento reprovado em qualquer banco. Isso ocorre porque, quando a pessoa pede o financiamento é feita uma análise de crédito que verifica quanto a pessoa ganha, quais são as dívidas que ela tem e como ela paga suas contas.

6. Ter problemas com a Receita Federal e/ou com o INSS

Além do “nome sujo“, se a pessoa tiver algum problema no INSS ou na Receita Federal, como ter deixado de declarar o Imposto de Renda, é certo que o financiamento será negado. Não ter nenhuma pendência com esses órgãos é essencial para evitar um financiamento reprovado.

O que pode reprovar um financiamento imobiliário da Caixa?

O que pode reprovar um financiamento da caixa | Foto de um homem preocupado na frente do computador | Guia da Tenda | Blog da Tenda

Em geral, existem diversos fatores que podem reprovar um financiamento imobiliário na Caixa. Porém, o principal motivo para reprovação do financiamento na Caixa é o “nome sujo”, ou seja, CPF negativado.

Então, se esse for o seu caso, procure saber quanto você deve, renegocie a dívida, pague o acordo e, depois de um tempo, peça seu financiamento. Além disso, procure manter seus dados cadastrais atualizados. Isso também conta a favor para ter seu financiamento aprovado.

Confira agora o segundo áudio do conteúdo! Assim, ao terminar de ouvir, aproveite o último trecho mais abaixo desta página!

Financiamento reprovado: quando posso tentar novamente?

De modo geral, se você já teve um financiamento negado, o ideal é que primeiro você acerte todas as pendências indicadas na reprovação. Aí, depois de seis meses, você pode pedir novamente um financiamento imobiliário.

Durante esse período de espera, procure resolver todos os problemas indicados no financiamento reprovado. Se você não sabe como fazer isso, o próximo tópico vai ajudar você a evitar a reprovação do financiamento. Confira!

Como evitar um financiamento reprovado?

Antes de tudo, solicitar um financiamento imobiliário não é algo complicado, porém é preciso se atentar a alguns requisitos para evitar ter o financiamento reprovado. Para ajudar você na conquista da sua casa própria, listamos algumas dicas que podem evitar a reprovação do financiamento de imóveis na conquista de um cantinho só seu. Confira!

Faça um planejamento financeiro para aumentar sua renda

Como fazer um planejamento financeiro para um financiamento imobiliário | Foto de um casal fazendo um planejamento financeiro | Guia da Tenda | Blog da Tenda

Antes de mais nada, para evitar um financiamento reprovado e conseguir comprar a casa própria, o primeiro passo é ter um planejamento financeiro.

Isso porque, um financiamento imobiliário é um investimento a longo prazo. Ou seja, é uma dívida que vai comprometer boa parte do seu orçamento mensal familiar por muito tempo, além das demais despesas que você já tem normalmente. Então, para fazer um planejamento financeiro eficiente você precisa seguir estes passos:

  • Anote quanto você ganha por mês, ou seja, sua renda mensal;
  • Liste todos os seus gastos fixos mensais (contas de consumo, como água, luz, telefone, internet e gás, além do que gasta com alimentação, transporte e outros itens);
  • Faça uma lista das suas despesas particulares que terá nos próximos anos, como estudos, saúde, seguros, etc.;
  • Defina quanto você vai poupar por mês e crie uma reserva de emergência.

Com isso, você vai ter uma noção clara do seus gastos mensais e de quanto você ganha. Essa é a melhor maneira de conseguir eliminar alguns custos desnecessários para poder poupar mais dinheiro e investir na sua casa própria.

Aproveite a composição de renda para aumentar sua renda

O que é composição de renda no financiamento | Foto jovem casal de mudança | Guia da Tenda | Blog da Tenda

Se, ao fazer o seu planejamento financeiro, você percebeu que sua renda não é suficiente para pedir um financiamento, tenha calma! Saiba que você pode fazer o financiamento imobiliário com o programa Casa Verde e Amarela, o substituto do Minha Casa Minha Vida.

Então, para o financiamento feito por meio do Casa Verde e Amarela, você pode contar com o benefício da composição de renda. Para ficar mais claro, a composição de renda é a soma dos salários de duas ou mais pessoas, sejam familiares ou amigos, para financiar um imóvel.

Por exemplo: digamos que seu salário seja R$ 2.000 e o do seu cônjuge também. Digamos ainda que seu filho maior de idade ganhe R$ 1.000,00. A composição de renda familiar somando os salários de vocês três ficaria em R$ 5.000,00. Percebe? Com uma renda familiar de R$ 5.000,00, fica bem mais fácil conseguir a aprovação de um financiamento, pois o risco de inadimplência é menor, ou seja, o banco tem mais garantias de que as prestações serão pagas em dia.

Quer saber mais sobre como funciona a composição de renda no financiamento imobiliário? Basta assistir ao vídeo abaixo.

Saiba como comprovar sua renda no financiamento imobiliário

Nesse sentido, a comprovação de renda no financiamento imobiliário varia se você trabalha como assalariado com carteira assinada (CLT) ou é autônomo. Na sequência, saiba quais são os comprovantes de renda aceitos no financiamento imobiliário.

  • Trabalhador com carteira assinada (CLT): para quem trabalha com carteira assinada, sob o regime CLT, basta apresentar o holerite. Esse é o documento que traz o total do seu salário recebido e os demais descontos e benefícios;
  • Trabalhador autônomo: já os autônomos podem apresentar extratos bancários, comprovando que existiu movimentação na conta pelos últimos três meses.

Faça uma renda extra para aumentar seus ganhos

Como fazer uma renda extra para financiar um imóvel | Foto de uma pessoa fazendo cupcakes | Guia da Tenda | Blog da Tenda

Antes de mais nada, se você quer conquistar o mais rápido possível sua casa própria e sua renda não é suficiente, uma boa dica é fazer uma renda extra para complementar seus ganhos.

Então, ao fazer uma renda extra, você vai poupando o dinheiro que ganhar até conseguir ter os valores necessários para comprar seu imóvel dos sonhos.

Para isso, existem várias formas de ganhar uma grana extra. A seguir, confira algumas atividades que você pode fazer para ter um dinheiro extra no seu orçamento:

  • Venda alimentos (marmitex, bolo de pote, docinhos de festa, cupcakes, bolos de festa, sopa fitness etc.);
  • Revenda produtos (importados, cosméticos, roupas, perfumes, bijuterias, joias, eletrônicos e utilidades domésticas, entre outros);
  • Venda artesanato;
  • Crie um brechó de coisas que você não usa mais;
  • Faça entregas por meio de aplicativos;
  • Seja motorista de aplicativos nos fins de semana;
  • Participe de programas de indicação (como o Eu indico a Tenda);
  • Seja um afiliado para indicar e vender produtos digitais como e-books, cursos e até mesmo apartamentos como o Clickers da Construtora Tenda;
  • Dê aulas particulares (presencial ou online);
  • Ofereça consultorias;
  • Seja um freelancer;
  • Alugue seu carro caso você não o utilize com frequência;
  • Traduza textos;
  • Ofereça serviços de maquiagem, cabelo ou manicure;
  • Crie textos para sites e blogs;
  • Passeie com animais;
  • Faça a mudança de outras pessoas;
  • Crie uma loja virtual;
  • Realize testes de aplicativos e sites em plataformas como: uTestTestbirdsTester WorkTest IOUserCrowd.

Nesse sentido, essas são algumas opções para fazer uma renda extra. Claro que, com sua criatividade, você poderá pensar em muitas outras. Ou seja, o mais importante é analisar se o que você pode fazer irá atrapalhar sua principal atividade, ou seja, seu emprego atual. Se a resposta for sim. Esqueça! Afinal, você não vai querer perder seu ganho principal tentando fazer um dinheiro extra.

Organize suas finanças para poupar o valor da entrada do imóvel

Como organizar as finanças para um financiamento | Foto de uma mulher organizando as contas | Guia da Tenda | Blog da Tenda

Para começar, com um bom planejamento financeiro você vai poder se programar para ter uma boa quantia para dar de entrada no financiamento sem qualquer preocupação.

Assim, quanto mais alto for o valor que você der de entrada (mais do que 20% do valor total do imóvel), menos juros irá pagar durante o financiamento imobiliário. Bom, hein?

Além do mais, veja qual tipo de financiamento é melhor para o seu orçamento. Procure escolher uma linha de crédito habitacional que permita usar o saldo do FGTS como valor de entrada na compra do imóvel.

Aliás, esse é o caso do Casa Verde e Amarela. Esse programa habitacional, além de possibilitar o uso do FGTS no financiamento imobiliário, permite aproveitar benefícios como o subsídio habitacional, um valor que dá desconto no valor total do imóvel.

Esta é a última parte deste conteúdo em áudio! Ouça agora!

Utilize o FGTS como valor de entrada

Como utilizar o FGTS como valor de entrada do seu financiamento | Foto de uma pessoa segurando celular com a logo do FGTS na tela e no computador | Guia da Tenda | Blog da Tenda

Sem sombra de dúvida, pagar o valor de entrada de um imóvel à vista é uma das maiores dificuldades para quem tem uma renda mais baixa.

Porém, existe uma solução: usar o saldo disponível do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço). Para isso, é preciso se encaixar em algumas regras. Confira.

Para o participante

  • Ter trabalhado por pelo menos três anos (seguidos ou não) em um emprego com carteira assinada, com recolhimento do FGTS;
  • Não ter outro financiamento ativo no Sistema Financeiro de Habitação, o SFH;
  • Não ter utilizado o FGTS durante os últimos três anos;
  • Não ter outro imóvel próprio na cidade onde reside ou trabalha.

Da mesma forma que o participante, o imóvel também precisa atender às condições para ser financiado com os recursos do FGTS. Na sequência, conheça os requisitos do imóvel.

Para o imóvel

  • O imóvel deve ser urbano e residencial;
  • O titular do FGTS precisa comprar o imóvel para ser sua moradia;
  • A propriedade precisa ter matrícula no Registro de Imóveis e estar com a documentação atualizada e em dia;
  • O imóvel não pode ter sido financiado com o FGTS nos últimos três anos;
  • A casa ou o apartamento precisará passar pela vistoria de um agente da Caixa Econômica Federal.

Aliás, outro ponto importante: para os estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Distrito Federal, o valor máximo do imóvel a ser financiado é R$ 750 mil. Para os demais estados do Brasil, o limite é R$ 650 mil.

Então é isso: para usar o saldo do seu FGTS no financiamento da sua casa própria, é preciso que tanto você quanto o imóvel atendam às condições estabelecidas.

Tente poupar 30% da sua renda mensal

De início, se você quer realmente comprar um imóvel, saiba que é preciso poupar parte do seu salário para alcançar essa conquista. Inicie poupando 10% do seu salário. Depois, aumente para 20% e, em seguida, para 30%. Afinal, poupar também é um hábito que se pode adquirir. O importante é começar. Dessa maneira, você ficará cada vez mais perto de conquistar sua casa própria com mais rapidez e segurança.

Pesquise outras formas para conseguir o valor de entrada

Como dar entrada em um imóvel | Foto de uma mulher pesquisando na internet | Guia da Tenda | Blog da Tenda

A princípio, uma outra forma de conseguir o valor de entrada para sua casa própria é entrar diretamente em contato com a construtora que tem o imóvel que você escolheu.

Poe exemplo, aqui na Construtora Tenda, oferecemos uma condição especial para o cliente que comprar um apartamento nosso.

Sabe qual? Como cliente da Tenda, você pode parcelar o valor da entrada em até 60 meses. É isso mesmo que você entendeu: na Tenda, para ajudar você a conquistar sua casa própria, financiamos o valor da entrada em até 5 anos! Dessa forma, você pode parcelar o valor de entrada junto com o do financiamento. Isso que é parceria, né?

Então, para contar com essa vantagem, basta dar um valor de sinal e parcelar o restante da entrada. Quer saber mais detalhes sobre como conquistar seu apartamento Tenda? Então entre em contato com o nosso time de atendimento!

Aumente seu score de crédito

Como aumentar o score de crédito | Foto de uma mulher fazendo as contas na calculadora | Guia da Tenda | Blog da Tenda

De início, o score é um indicador, uma pontuação que mostra se você é bom ou mau pagador. É por meio do score que os bancos e construtoras avaliam se é ou não arriscado liberar o crédito habitacional.

Então, se você descobriu que seu score de crédito é baixo, as chances de conseguir um financiamento imobiliário são mínimas. Mas não precisa perder as esperanças. É possível aumentar seu score de crédito, sabia? Veja como abaixo:

  • Limpe o seu nome, colocando em dia o pagamento das suas dívidas;
  • Negocie e pague todas as suas dívidas em aberto;
  • Pague as contas no prazo;
  • Tenha as contas em seu nome;
  • Não comprometa mais do que 30% da sua renda com dívidas extras;
  • Inscreva-se no Cadastro Positivo, um medidor que mostra quão bom pagador você é;
  • Mantenha seus dados pessoais sempre atualizados.

Dessa forma, quanto maior for sua pontuação do score de crédito, maior será a confiança do banco para a liberação de futuros financiamentos e empréstimos.

Limpe seu nome

Como renegociar e pagar as dívidas | Foto de uma mulher pagando as contas | Guia da Tenda | Blog da Tenda

Antes de mais nada, o primeiro passo para ter seu financiamento aprovado é limpar seu nome e regularizar seu CPF. Afinal de contas, seu financiamento poderá ser reprovado se você estiver com o “nome sujo”. Então vamos às dicas para limpar seu nome:

  • Consulte a situação do seu CPF nos principais órgãos de proteção ao crédito: SPC, Serasa e Boa Vista SCPC. Dessa forma, você saberá o valor das suas dívidas em aberto e já poderá começar a pensar como resolvê-las;
  • Depois, tente renegociar cada uma das suas dívidas. Um ponto que conta muito a seu favor é que tanto as empresas de crédito quanto você terão um objetivo em comum: vontade de resolver esses problemas. Assim que pagar todas as suas pendências, pronto: seu nome será automaticamente retirado das listas de inadimplentes;
  • Por último, faça um planejamento financeiro para o seu financiamento imobiliário. Desse modo, você vai saber exatamente qual valor poderá pagar pelo imóvel e quais suas contas fixas mensais. Claro que a partir disso você também poderá se preparar para juntar o valor da entrada.

Pague suas dívidas com a Receita Federal e o INSS

Como pagar as dívidas com a Receita Federal e INSS | Foto de um celular com a logo da Receita Federal | Guia da Tenda | Blog da Tenda

Se você tem algum pendência com a Receita Federal ou com o INSS, saiba que precisa resolver essa situação o mais rápido possível. Caso contrário, além de ver seu financiamento imobiliário reprovado, você poderá ter muitos problemas até mesmo com banco e em outras situações que precise utilizar seu CPF.

Então, para resolver isso, o primeiro passo é procurar o atendimento da Receita Federal ou do INSS e entender o que você precisa fazer para regularizar sua situação com esses órgãos.

Da mesma maneira que limpar o nome, quanto mais rápido você agir, mais rápido será resolvida sua questão e seu nome estará limpo para fazer o financiamento imobiliário.

Pesquise a melhor linha de crédito e faça simulações

Simulador de financiamento | Foto de uma mulher sorrindo pesquisando na internet | Guia da Tenda | Blog da Tenda

De início, cada banco oferece diversas linhas de crédito com taxas de juros e condições bem diferenciadas. Portanto, pesquise bastante antes de fechar negócio e não escolha nenhum por impulso.

Afinal, um financiamento imobiliário é uma dívida a longo prazo, e você precisa fazer a melhor escolha para não comprometer demais suas finanças. A dica é fazer simulações de financiamento para saber qual é a melhor opção para seu orçamento. Aqui na Construtora Tenda, temos o Simulador de Financiamento Tenda, o aliado ideal para ajudar você nessa missão!

Dessa forma, essa ferramenta vai mostrar a você o apartamento que cabe no seu bolso, respeitando o seu orçamento. Além disso, você vai descobrir o valor de imóvel que pode pagar, uma estimativa do valor das parcelas do financiamento e se você tem direito ao valor do subsídio, um dos benefícios do programa Casa Verde e Amarela.

Para saber mais detalhes, faça sua simulação gratuita ou assista ao vídeo abaixo.

Assim que tiver todas essas informações em mãos, você vai ver que fica bem mais fácil tomar uma decisão consciente.

Separe a documentação necessária do financiamento antecipadamente

Para concluir, com sua vida financeira organizada e a linha de crédito definida, agora é a hora de separar toda a documentação para dar entrada no financiamento imobiliário.

Logo, a lista de documentos exigida pode variar de banco para banco. Por isso, procure saber antecipadamente toda a documentação. A seguir, confira os principais documentos para o financiamento imobiliário que a maioria dos bancos costuma pedir:

  • Documento de identidade – RG, CNH, CPF;
  • Comprovante de estado civil (para os solteiros, certidão de nascimento; para os casados, certidão de casamento ou certificado de união estável; para os divorciados, certidão de casamento com divórcio averbado);
  • Comprovante atual de endereço;
  • Certidão conjunta de débitos referentes aos tributos federais;
  • Declaração de Imposto de Renda;
  • Extrato do FGTS;
  • Carteira de trabalho;
  • Comprovante de renda.

Por fim, deixe separados as cópias e os documentos originais e dê entrada no financiamento da sua casa própria.

Então, se você ainda não escolheu seu novo lar, saiba que aqui na Tenda é possível comprar seu imóvel. Confira os apartamentos à venda e aproveite os benefícios do Casa Verde e Amarela. Para saber mais, entre em contato com nosso time de atendimento!

Sobre a Tenda

Tenda é uma das maiores construtoras do Brasil e uma das empresas que integram a Bolsa de Valores de São Paulo. Listada no Novo Mercado da B3, a companhia tem o mais alto nível de governança corporativa do país.

Com mais de 50 anos de experiência no mercado imobiliário, a gente sabe que comprar um apartamento muitas vezes parece ser algo impossível para muitos brasileiros. Por isso, a nossa missão é colocar a conquista da casa própria ao seu alcance.

Acredite, com as nossas condições exclusivas somadas a grande parceria que temos com o programa Casa Verde e Amarela, o substituto do Minha Casa Minha Vida, você consegue ter o seu cantinho.

Nós já realizamos o sonho de mais de 120 mil famílias, provando que ter um imóvel próprio é possível. Para ajudar cada vez mais brasileiros, estamos presentes em capitais e regiões metropolitanas de nove estados do país. Existem apartamentos à venda em São Paulo, Bahia, Ceará, Pernambuco, apartamentos à venda no Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Paraná, Goiás e Minas Gerais.

Além de diversas lojas físicas nos nove estados em que atuamos, também oferecemos a comodidade da Loja Virtual Tenda, um ambiente seguro e com todas as informações que você precisa para conquistar o seu imóvel. No nosso site, você também encontra ferramentas como o Simulador de Financiamento e a Calculadora dos Sonhos que te ajudam no planejamento da compra.

Conte com a gente para realizar o sonho de ter o seu apartamento! Estamos prontos para tirar as suas dúvidas e te acompanhar durante todo o processo.

 

Loja Virtual Tenda
Spotify Blog da Tenda
Autor do Post | Tenda Blog
Escrito por:

Tenda

Saia do aluguel e conquiste seu apartamento. Dê o primeiro passo agora mesmo.


Deixe o seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

(0) Comentários
Este artigo ainda não possui comentário. Seja o primeiro.