bde7 Subsídio habitacional: o que é? – Tenda



Cadastre-se e fique
por dentro das novidades.





Realizar o sonho da casa própria pode estar mais próximo do que você imagina. Quer saber como? Leia este post e entenda tudo sobre o subsídio habitacional!

O caminho até a casa própria tem ficado cada vez mais curto. Isso porque hoje existem várias maneiras de realizar esse sonho. Alguns exemplos disso são o programa Minha Casa, Minha Vida, o uso do FGTS, os feirões, o financiamento ou consórcio imobiliário e muito mais. Neste post, vamos falar um pouco sobre outro facilitador, o subsídio habitacional. Esse benefício é ofertado com o intuito de contribuir para o financiamento de um imóvel residencial, facilitando a aquisição desse bem que é o sonho de tantos brasileiros. Ele é oferecido por diferentes programas, sendo que as regras para adquiri-lo e algumas das suas particularidades podem variar por esse motivo. No entanto, ainda é possível citarmos, de modo geral, alguns pontos importantes para se saber a respeito desse subsídio. Foi pensando nisso que criamos este post: vamos explicar algumas das características desse benefício, focando também no programa Minha Casa, Minha Vida. Ficou curioso? Então, vem com a gente se informar!

O que é o subsídio habitacional?

Subsídio habitacional refere-se a um valor liberado pelo governo federal para as famílias consideradas de “baixa renda”. Com isso, é possível financiar uma casa ou um apartamento. Vale lembrar, também, que esse valor pode ser utilizado para diminuir o preço da parcela do financiamento. Por ser o fator que mais afeta a prestação de um imóvel, o subsídio é uma das principais medidas dos programas habitacionais, como o Minha Casa, Minha Vida. Vamos entender um pouco mais sobre ele?

Como funciona o subsídio habitacional?

É possível compreender como funciona, basicamente, esse subsídio a partir de um exemplo. Imagine que o imóvel financiado vale R$ 100.000 e o seu subsídio é de R$ 25.000. Na prática, isso significa que você pagará somente R$ 75.000. Ou seja, uma parte da propriedade foi quitada por algum programa habitacional. O valor do subsídio habitacional é inversamente proporcional à renda familiar. Isso significa que, quanto maior for a renda, menor será a quantia do subsídio disponibilizada. Afinal, a intenção do governo é que esses dois fatores sejam compatíveis. Para ter uma ideia de quanto de subsídio a sua renda familiar permite alcançar, você pode realizar simulações de financiamento. Além disso, é preciso verificar o teto, ou seja, o valor máximo de subsídio oferecido em cada região. O subsídio habitacional poderá ser aprovado após a análise de fatores como o valor do imóvel, sua localização e a renda mensal familiar. Caso seja descoberta alguma irregularidade ou fraude, como ter um imóvel ou uma renda superior à declarada, o beneficiário poderá ser obrigado a devolver o valor do subsídio. Do contrário, caso tudo esteja de acordo com as normas e você receba o subsídio, essa quantia não precisará ser devolvida, pois trata-se de uma doação governamental. Ainda, é importante ressaltar que esse benefício não pode ser dado como uma entrada no valor do imóvel. Afinal, ele é concedido apenas com o propósito de abater o valor do financiamento.

O que determina o valor do subsídio habitacional?

Existem vários fatores que influenciam no valor do subsídio que será aprovado. Como explicamos, alguns deles são a renda familiar, o valor do imóvel e a sua localização. É preciso ficar atento às normas de cada programa habitacional para saber mais detalhes sobre essa informação.

Quem tem direito e como proceder para pedir o subsídio habitacional?

Quem deseja fazer a solicitação do subsídio habitacional deve ser brasileiro (ou naturalizado no país), ter 18 anos ou mais e não ter nenhum imóvel financiado em seu nome. Além disso, o solicitante não pode ter sido atendido por nenhum programa habitacional até o momento. A solicitação deve ser feita para a prefeitura ou para outra entidade organizadora. Em alguns programas, como o Minha Casa, Minha Vida, ainda é possível fazer uma contratação por meio de uma construtora, como será explicado mais adiante. Normalmente, a solicitação do subsídio habitacional será avaliada por entidades como o banco e a construtora, passando por algumas etapas de análise antes de ser ou não aprovada. É preciso lembrar que qualquer alteração nos dados de quem solicitou o benefício pode alterar sua liberação. Se, por exemplo, a renda aumentar, os valores a serem financiados ou até mesmo a aquisição do imóvel poderá passar por modificações.

Quais tipos de imóveis se encaixam nos programas de subsídio habitacional?

Como já comentamos, o imóvel que se pretende adquirir também precisa se enquadrar nas regras do programa para que o benefício seja liberado. Assim, é importante lembrarmos que o subsídio habitacional se aplica a casas ou apartamentos para fins residenciais, cujos valores sejam adequados à faixa de renda familiar de cada um. Como forma de análise, são realizadas uma vistoria e uma avaliação do local para garantir que tudo está dentro dos conformes.

Como funciona o subsídio habitacional no programa Minha Casa, Minha Vida?

Como comentamos na introdução do post, existem diferentes programas que visam contribuir para as famílias de classes baixa e média adquirirem a sua casa própria, fornecendo benefícios, como o auxílio no financiamento de um imóvel. O Minha Casa, Minha Vida é um deles, destacando-se por oferecer os maiores subsídios. Com foco nas famílias de baixa renda, esse é o programa de subsídio habitacional mais famoso e vantajoso do Brasil. Ele tem parcerias e engloba rendas de valores variados, possibilitando que diversas pessoas tenham acesso a esse benefício. Por exemplo: no Minha Casa, Minha Vida, é possível destacar quatro faixas de renda para habitações urbanas. A primeira faixa engloba as famílias de renda bruta de até R$ 1,8 mil mensais; a segunda contempla famílias de renda de até R$ 2,6 mil; a terceira refere-se a rendas de até R$ 4 mil; e a quarta engloba rendas maiores. Também é possível explicar de outra maneira: se a sua renda familiar for de até R$ 1,6 mil, haverá uma taxa de juros mais baixa e o valor do subsídio recebido será mais alto. Por sua vez, outras rendas familiares também podem receber esse serviço, mas ele será em uma quantia menor conforme a renda for maior, assim como os juros podem aumentar. As inscrições para o Minha Casa, Minha Vida, como para muitos dos demais programas habitacionais, devem ser feitas na prefeitura ou por meio de entidades organizadoras, como construtoras que realizam empreendimentos e se atêm às exigências do programa. Há também uma outra possibilidade de realizar uma contratação, fazendo a simulação para ter uma ideia do seu investimento e levando a documentação necessária até, por exemplo, uma agência da Caixa. Isso se aplica para rendas de até R$ 6.500. Vale lembrar, ainda, que fazer simulações é importante para você ter uma ideia dos custos e benefícios envolvidos, facilitando o seu planejamento. No entanto, é preciso ficar atento a possíveis alterações e atualizações nos programas habitacionais, como nos valores e nas normas, por exemplo. Pesquise e informe-se para se organizar e se preparar adequadamente.

Quais são as principais vantagens do subsídio habitacional?

Como pôde ser percebido, o subsídio, seja do Minha Casa, Minha vida, seja de outros programas, aparece como uma ajuda significativa para pagar menos no financiamento imobiliário. Com ele, o pagamento das parcelas fica mais barato e talvez possa até ser acelerado, o que também favorece para diminuir os juros. Dessa forma, esse benefício contribui tanto para agilizar o sonho de ter a casa própria quanto para dar um alívio ao orçamento. Agora que você entendeu o que é e como funciona o subsídio habitacional, que tal continuar se informando? Aproveite a sua visita para conhecer também as principais regras do programa Minha Casa, Minha Vida e dê mais um passo em direção à sua casa própria!
;



Todos os direitos reservados Tenda 2019
CPNJ: 09.625.762/0001-58

0