COMO COMPROVAR RENDA SENDO AUTÔNOMO?

Guia da Tenda

Se você trabalha por conta própria e tem o sonho de conquistar um imóvel, deve ter dúvidas sobre como comprovar renda sendo autônomo. O financiamento do programa Minha Casa Minha Vida pode ser usado tanto por trabalhadores formais, com carteira assinada, quanto por trabalhadores autônomos. Entretanto, cada um possui formas diferentes de comprovar renda.

Loja Virtual Tenda
Spotify Blog da Tenda

Confira quais documentos você pode utilizar para comprovar a sua renda em um financiamento imobiliário.

Como comprovar renda sendo autônomo?

Foto de uma mulher escrevendo | Comprovante de renda autônomo | Blog da tenda

Em resumo, vários documentos podem ser usados para comprovar uma renda informal. Sem dúvidas, o mais conhecido é o extrato bancário, mas existem outras opções. Veja quais são e como conseguir.

Depósitos em conta bancária

Por meio do extrato bancário, referente à sua conta corrente, é possível confirmar os recebimentos que ocorreram em determinado período e, assim, comprovar os rendimentos mensais. Nesse caso, a Caixa Econômica Federal aceita extratos referentes a:

  • aplicações financeiras;
  • pagamentos de benefícios do INSS;
  • auxílio doença e acidente;
  • auxílio maternidade;
  • pensão alimentícia.

Declaração de Imposto de Renda de Pessoa Física (IRPF)

Se você faz a declaração anual para a Receita Federal, também poderá utilizá-la. Solicite uma cópia do seu recibo para o contador e não se esqueça de que eles devem ficar guardados por, pelo menos, cinco anos.

A declaração é obrigatória para quem recebe acima de R$28.559,70 por ano. Porém, mesmo que você tenha um rendimento menor, pode declarar para ter mais um meio de comprovar os ganhos.

Entre as informações que são aceitas pela Caixa, estão a de rendimentos referentes a:

  • recebidos de pessoa jurídica;
  • recebidos de pessoa física;
  • atividade rural;
  • ganho de capital;
  • distribuição de lucros;
  • aplicações financeiras.

Outros documentos

Há ainda outros documentos que você pode usar para comprovar renda sendo autônomo. Por exemplo:

  • extrato do FGTS;
  • contrato de aluguel ou de arrendamento de bens imóveis;
  • contrato de estágio;
  • notas fiscais de operações de compra e venda (somente para pessoas que realizam atividade rural);
  • declaração do empregador;
  • declaração do órgão previdenciário;
  • cadastramento da renda mensal na declaração de imposto de renda.

O que pode ajudar um autônomo a comprovar renda?

Foto de mãos femininas segurando um cartão de crédito | Como comprovar renda sendo autônomo | Blog da Tenda

Se você tem os documentos que são aceitos para comprovar renda informal, já tem grande parte dos problemas resolvidos. Mas, existem outras ações que podem ser feitas para facilitar a comprovação. Confira algumas dicas.

Abra uma conta corrente

Se você ainda não tem uma conta corrente no banco, este é o momento certo para fazer, já que ela é fundamental para obter qualquer financiamento — lembrando que a poupança não vale para esse tipo de operação, ok?

Em primeiro lugar, veja se a conta precisa ser do mesmo banco que você deseja fazer o financiamento. Se informe se existe algum benefício por ser cliente do banco.

Além disso, os extratos bancários referentes às movimentações também são uma excelente maneira de comprovar a sua renda, lembra?

Guarde os extratos da sua conta corrente

Além de concentrar todos os seus ganhos nessa conta, você precisará ter, pelo menos, o extrato referente aos últimos seis meses de movimentação. Essa é uma forma de comprovar para o banco que você realmente tem a renda que declara na hora de fazer o financiamento.

Reúna todos os documentos para comprovar renda como autônomo

É provável que somente os extratos da conta corrente não sejam suficientes para comprovar renda para o banco. Por isso, o ideal é apresentá-los junto à declaração de Imposto de Renda. Apesar de ser feito apenas uma vez por ano, essa declaração comprova os seus recebimentos do ano anterior. No caso, o extrato dos últimos seis meses vai reforçar esses ganhos e ainda mostrá-los atualizados (já que é possível que haja um aumento na renda de um ano para o outro).

Se possível, formalize o seu trabalho

Só para ilustrar, existem diversas atividades que podem ser formalizadas como Microempreendedor Individual (MEI). Quando o cadastro é feito, ao mesmo tempo que você profissionaliza o seu trabalho, você ganha um CNPJ e o direito de emitir notas fiscais. Caso a sua atividade não esteja na lista de opções do MEI, é possível abrir uma empresa dentro do regime do Supersimples. As condições são bem diferentes, mas pode valer a pena.

Regularize o seu CPF

Se você estiver negativado, com o nome sujo, o seu financiamento pode ser reprovado. Afinal, ter o registro nos bancos de dados de proteção ao crédito, como o SPC e o Serasa, é sinônimo de ser mau pagador para o mercado.

Sendo assim, se você tem qualquer restrição, tente negociar e resolver antes de pedir o financiamento. Esse é um grande passo para conquistar a confiança dos credores e conseguir boas condições em qualquer negociação com bancos, construtoras e empresas.

Por fim, só por que você não trabalha com carteira assinada, não significa que é impossível realizar o sonho da casa própria. Você só precisa organizar os documentos necessários e as suas finanças. Com isso, as chances de tudo dar certo ficam bem maiores.

Conheça a Loja Virtual Tenda e fique mais perto de conquistar o seu apartamento. Com toda a certeza, nós vamos encontrar o imóvel perfeito para você e sua família, com o financiamento que cabe no seu bolso. 

 

Loja Virtual Tenda
Spotify Blog da Tenda
Autor do Post | Tenda Blog
Escrito por:

Tenda

(0) Comentários
Este artigo ainda não possui comentário. Seja o primeiro.
Deixe seu contato

A gente quer compartilhar as novidades primeiro com você.