FINANÇAS SEM MEDO: COMECE A ECONOMIZAR DINHEIRO AGORA MESMO!

Economize

Mesmo em tempos de crise, é essencial economizar dinheiro para eventuais emergências e para realizar os seus sonhos. Essa, no entanto, não é uma tarefa fácil para muitas pessoas. Se você se identifica com essa situação e não sabe nem por onde começar, confira as dicas deste post.

Loja Virtual Tenda
Spotify Blog da Tenda

Com alguns passos e mudanças de hábitos, a economia vai se tornar algo cada vez mais fácil e natural na sua vida. Comece a colocar essas ideias em prática e veja como isso faz diferença! Vamos às dicas!

Anote todos os seus gastos

Pode parecer trabalhoso e chato, mas se você quer realmente economizar dinheiro, é importante dedicar uns minutinhos a essa atividade. Facilite esse processo guardando os comprovantes de compras para anotar tudo no fim do dia, por exemplo.

Você também pode anotar na mesma hora que comprou: é só separar um bloquinho para isso e andar com ele no bolso ou anotar no seu celular. Hoje em dia, os aplicativos de controle financeiro são grandes parceiros nessas horas.

Por que registrar? Essa é a hora que conhecemos detalhadamente nossas despesas, e fica mais fácil saber se estamos gastando mais do que ganhamos. A regra básica da economia é: o orçamento deve ser maior do que a saída de dinheiro.

Corte ou reduza as despesas desnecessárias

Quando você começa a anotar as suas compras, fica mais fácil perceber para onde o seu dinheiro está indo e identificar se você tem gastado com coisas que são realmente importantes ou apenas amenidades. É muito comum nos depararmos com o segundo caso: em um mundo que incentiva o consumismo, acabamos pagando por itens que na verdade não precisamos.

Quando isso acontece, é necessário repensar os seus gastos. Não estamos dizendo para você cortar todos os seus prazeres, mas provavelmente é possível ter mais equilíbrio. Você pode reduzir a compra de lanches na rua, de roupas por mês ou de doces no supermercado, ou mesmo trocar o seu pacote de TV a cabo para um mai barato, por exemplo. Moderação é a palavra-chave aqui.

Muitos dos nossos gastos desnecessários estão em detalhes do dia a dia que, à primeira vista, podem nem parecer significantes. No entanto, um a um, eles interferem no seu orçamento. Atente-se e veja o que você pode mudar!

Analise as formas de pagamento

Antes de adquirir um produto ou um serviço, informe-se direitinho sobre as formas de pagamento. Algumas empresas oferecem descontos se a compra for à vista, por exemplo.

Não compre no primeiro lugar que você encontrar: procure em várias lojas e registre todas as condições, como preços, descontos e promoções. Depois, compare tudo o que você anotou e então faça a sua escolha. Muitas vezes, um mesmo produto vai ter valores e circunstâncias de compra diferentes, já que isso depende da loja.

Use um programa financeiro online

Cada vez mais temos usado a tecnologia a nosso favor. Por que não utilizá-la para ajudar na nossa economia? Existem vários softwares e aplicativos voltados para as finanças: os de controle de entrada e saída de dinheiro, aqueles para anotar o quanto você gastou em cada estabelecimento e planilhas online — que, como mencionamos, permite que você registre os seus gastos.

Olha que legal: tudo isso é feito pelo celular ou pelo computador. Os aplicativos e as plataformas podem ser sincronizados com a sua conta bancária (verifique as suas condições de segurança), gerar gráficos para mostrar o fluxo do seu orçamento e até enviar lembretes para pagar a conta. Muito útil, não?

Faça um planejamento financeiro

Quando usamos nosso dinheiro sem nos planejar, é muito mais fácil gastá-lo em coisas desnecessárias e sem perceber. Para um bom planejamento, você precisa ter ideia de fatores como: o seu orçamento (a quantia que você costuma ganhar todo mês), as suas despesas fixas (aquelas despesas mensais, como contas de água, luz e telefone) e os seus desejos/objetivos.

Verifique o quanto você gasta por mês com as despesas fixas e planeje deixar essa quantia sempre reservada. Com o dinheiro que sobra do seu orçamento, você pode investir em outras prioridades, como os seus sonhos e o seu bem-estar.

Organize-se pensando no quanto de dinheiro você vai utilizar para cada uma dessas coisas para também deixar separado. Lembre-se que é importante reservar uma quantia para uma reserva de emergência — veremos isso com mais detalhes em outro tópico.

Crie metas financeiras

Essa é uma parte muito importante do planejamento. Quando temos metas, fica mais fácil economizar, pois sabemos onde queremos chegar, por que estamos poupando dinheiro e quanto precisamos juntar.

As metas ajudam muito com os nossos objetivos, pois elas são meios que nos levam a ele. Se o seu plano é comprar um imóvel, por exemplo, uma das suas metas pode ser economizar uma quantia X todos os meses. Vale lembrar que as metas devem ser mensuráveis, sendo possível analisá-las e alcançá-las no período tempo que você estipular.

É interessante ter metas financeiras de curto prazo (alcançáveis em até 12 meses), médio prazo (de 1 a 10 anos) e longo prazo (mais de 10 anos), por exemplo. Para definir em qual dessas categorias cada uma se encaixa, é preciso considerar a sua complexidade, a quantia necessária, o seu orçamento e o quanto você pode destinar a ela todo mês.

Planeje-se pensando nas suas metas e reservando uma quantia cabível mensalmente, sem desconsiderar os outros fatores que comentamos anteriormente, como os seus gastos fixos e o seu bem-estar. Com essa dica, você não apenas economiza, mas alcança mais rapidamente os seus desejos!

Reveja os seus hábitos

Já falamos lá em cima sobre gastos desnecessários, mas é preciso ressaltar que muitas vezes eles estão ligados aos nossos hábitos. Assim, para além de decidir cortar essas despesas, é necessário começar uma mudança de atitudes.

Levar comida e água de casa em vez de comprar na rua, fazer programas de lazer mais baratos, não levar as crianças ao supermercado e aproveitar atividades culturais e sociais gratuitas (ou com o preço reduzido) são apenas alguns exemplos do que pode ser feito.

Muitas vezes, o hábito já é tão natural para nós que não percebemos a sua influência na nossa vida financeira. Não se preocupe: é sempre possível identificá-lo e transformá-lo!

Livre-se das dívidas

As dívidas são um problema compreensível e comum a muitos brasileiros. Isso não significa, porém, que não podem ser resolvidas. Com a economia e o planejamento certos, você pode se livrar dessas questões com muito mais facilidade.

Coloque “pagar as suas dívidas” como uma das suas metas principais no planejamento. Verifique o valor de cada uma e organize-se para pagar, começando pelas que são mais urgentes. Defina um prazo para quitar cada dívida e também a quantia que você pode separar todo mês até chegar no valor necessário.

Como falamos de prazo, vale um lembrete que serve para qualquer meta: estipular um período para alcançá-la é importante, pois permite uma melhor organização e determinação. No entanto, não se culpe ou fique se cobrando se algum imprevisto impedir você de cumprir esse prazo. Isso é normal e sempre dá para se reajustar.

Depois que as dívidas forem quitadas, organize-se com as dicas acima para pagar tudo em dia e evitar ter esse problema novamente. Quando se está com todos os pagamentos atualizados, fica mais fácil economizar e ir atrás de outras metas.

Tenha uma reserva de emergência

Essa é uma atitude fundamental. Mesmo quando nos prevenimos, imprevistos sempre podem acontecer. Nesses momentos, é importante ter uma quantia reservada. Assim, você evita estresses e problemas ainda maiores — que poderiam ser causados pela situação.

Destine uma quantia da sua renda mensal a uma reserva financeira, que só será tocada em casos de emergência. Organize o seu orçamento para construir esse hábito, mesmo se ele não parecer uma prioridade. Acredite: é. 

É melhor se prevenir do que arcar com mais dores de cabeça depois, certo?

Peça colaboração da família

Se você mora com a sua família, faz muita diferença a colaboração dessas pessoas com a economia doméstica. Converse, explique os seus motivos e as suas metas e peça que as pessoas ajudem, pois se todos mantêm o mesmo padrão de gastos, fica mais difícil mudar de hábitos (mas não é impossível).

Se tiver filhos, é interessante conversar sobre educação financeira desde a infância. Além disso, se você tem metas em comum com alguém — como um companheiro —, é uma boa ideia fazer um planejamento em conjunto. Existe certa resistência e dificuldade de falar sobre dinheiro com o cônjuge ou com a família, mas é importante desconstruir isso com calma, para uma vida econômica mais saudável.

Evite usar o cartão de crédito

Tenha muita parcimônia na hora de usar o cartão de crédito. Lembre-se que, além das parcelas, há juros, anuidades e outras cobranças. Deixe esse recurso apenas para quando for uma compra realmente importante e não houver outra forma de pagamento.

Quando você passa a pagar à vista, as suas compras se tornam mais regradas e controladas, favorecendo a economia. Se há algo que você quer, mas não tem dinheiro para pagar na hora, avalie depois o quanto isso é importante e, se for comprar mesmo, planeje-se para juntar o valor necessário.

Colocando essas dicas em prática, você verá que os resultados serão muito relevantes. Esse é um caminho que permite realizar sonhos pequenos e grandes, como a compra de um imóvel. Como se trata de um alto investimento de longo prazo, é essencial ter controle sobre as suas finanças.

Gostou das nossas dicas para economizar dinheiro? Então curta a nossa página no Facebook para ficar por dentro de outros conteúdos como este!

Loja Virtual Tenda
Spotify Blog da Tenda
Autor do Post | Tenda Blog
Escrito por:

Tenda

Deixe o seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

(0) Comentários
Este artigo ainda não possui comentário. Seja o primeiro.
Deixe seu contato

A gente quer compartilhar as novidades primeiro com você.