Já está pensando na sua aposentadoria? Apesar do termo ser popular, nem todo mundo sabe o que é previdência e como esse seguro funciona na prática.

Porém, é muito importante se preparar para o futuro, certo? Então, se você quer entender o que é previdência, aproveite o conteúdo que preparamos para você!

O que é previdência?

O que é previdência social | Foto de bonecos em cima de moedas empilhadas | Economia e renda extra | Eu Dou Conta

A previdência, também conhecida como Regime Geral de Previdência Social (RGPS), é um seguro que tem como objetivo garantir renda ao trabalhador quando ele não puder mais trabalhar, ou seja, quando se aposentar.

Para esclarecer, o trabalhador participa da Previdência Social através de contribuições. Nesse sentido, todas as pessoas que trabalham com carteira assinada são automaticamente filiados ao INSS (Instituto Nacional do Seguro Social), órgão do Governo Federal responsável pelo pagamento da aposentadoria.

O valor de cada contribuição mensal será definido de acordo com a remuneração recebida pelo trabalhador. Dessa forma, passa a ser garantido ao funcionário o recebimento de uma renda mensal proporcional quando chegar a hora de se aposentar.

Por isso, para ter direito à aposentadoria, é preciso contribuir mensalmente com o INSS. Autônomos e contribuintes individuais também podem participar.

Além de formar uma reserva para a aposentadoria, a previdência também tem o intuito de proteger os trabalhadores contra riscos econômicos, como perda de renda por doenças, invalidez e por aí vai.

O que é Previdência Social e para que serve?

INSS | Foto de uma senhora mexendo no celular | Economia e renda extra | Eu Dou Conta

A principal função da Previdência Social é substituir a renda do trabalhador quando ele não é mais capaz de trabalhar, seja por velhice, doença ou acidentes.

Para ter direito à aposentadoria, é preciso contribuir todo mês com o INSS. Quem trabalha sob regime CLT, possui a contribuição descontada automaticamente da folha de pagamento.

Atualmente, a previdência conta com os seguintes benefícios:

  • Aposentadoria por idade, invalidez e tempo de contribuição;
  • Aposentadoria especial;
  • Auxílio-doença, auxílio-acidente e auxílio-reclusão;
  • Pensão por morte;
  • Pensão especial (Síndrome de Talidomida);
  • Salário-maternidade e salário-família.

Como funciona a Previdência Social no Brasil?

Para esclarecer, a Previdência Social utiliza o regime de repartição: as contribuições dos trabalhadores ativos financiam a aposentadoria dos mais velhos.

Em outras palavras, a aposentadoria de um trabalhador é paga com a contribuição de quem ainda não pode se aposentar.

Além de garantir a aposentadoria, a previdência também pode ser acionada para proteger a renda dos trabalhadores e seus dependentes, como por exemplo em casos de comprometimento da renda familiar por doenças, invalidez ou morte.

Esse conjunto de ações é a seguridade social. Em resumo, é um seguro para os contribuintes que não podem mais produzir renda, seja pela idade avançada, desemprego, maternidade, entre outras situações.

O que é reforma da previdência?

O que é reforma da previdência | Foto da carteira de trabalho | Economia e renda extra | Eu Dou Conta

Em 2019, o Congresso Nacional aprovou a reforma da previdência, que nada mais é do que um conjunto de mudanças nas regras da Previdência Social.

A reforma conta com novas regras para os segurados dos dois regimes (RGPS e RPPS). A seguir, saiba mais sobre o que mudou.

Aposentadoria por idade

Uma das principais mudanças da reforma da previdência foi a criação de um limite mínimo para quem se aposenta pela idade. Na mesma linha, para receber a aposentadoria, os homens devem atingir 65 anos de idade, enquanto as mulheres, 62 anos.

Com exceção dos policiais, que se aposentam ao completar 55 anos, todos os trabalhadores que querem se aposentar pela idade precisam atingir o limite mínimo.

Aposentadoria por tempo de serviço

Antigamente, mulheres podiam se aposentar quando completassem 30 anos de contribuição, enquanto os homens precisariam atingir o limite de 35 anos.

Porém, com a mudança das regras na reforma da previdência, para se aposentar por tempo de contribuição ou de serviço, é necessário seguir esses requisitos:

  • Homens: ter 35 anos de contribuição e 62 anos e 6 meses de idade (em 2022);
  • Mulheres: ter 30 anos de contribuição e 57 anos e 6 meses de idade (em 2022);

Para esclarecer, desde 2020 o requisito de idade tem aumentado seis meses por ano até atingir 65 anos para os homens e 62 para as mulheres.

Ou seja, a cada novo ano, são adicionados seis meses até que o contribuinte chegue no limite de idade para se aposentar.

O que é “contribuir com a Previdência Social”?

O que é contribuir com a previdência social | Uma pessoa colocando uma moeda em um cofrinho | Economia e renda extra | Eu Dou Conta

Contribuir com a previdência nada mais é do que pagar a sua aposentadoria para o INSS todos os meses, para que no futuro você possa contar com esse benefício.

De forma geral, todo trabalhador de carteira assinada contribui automaticamente com a previdência, já que o valor dessa contribuição é descontado do holerite mensalmente.

A empresa em que você trabalha é responsável por esse desconto. Caso isso não aconteça, ela pode estar cometendo crime de sonegação fiscal.

Porém, existem os casos de pessoas que não estão trabalhando, mas desejam se aposentar e contribuem por conta própria para o INSS. São os chamados segurados facultativos.

Nessa situação, é preciso se inscrever na Previdência Social e fazer o recolhimento pela Guia da Previdência Social (GPS) todo mês. Além disso, quem trabalha como autônomo também faz parte do grupo de contribuintes individuais.

Ainda mais, quem é MEI tem a possibilidade de contribuir com o INSS através do DAS (Documento de Arrecadação do Simples Nacional), que recolhe todos os impostos desse modelo de trabalho. Ao todo, o MEI contribui com cerca de 5% do salário mínimo atual para a previdência.

Como funciona o cálculo da previdência?

Cálculo da aposentadoria | Foto de um homem fazendo contas no celular | Economia e renda extra | Eu Dou Conta

O valor da aposentadoria de quem é segurado do INSS corresponde a cerca de 60% da média de todas as contribuições feitas até junho de 1994.

Além disso, quando o trabalhador alcança a idade mínima de contribuição, ele ganha 2 pontos a cada ano extra que for trabalhado.

Para calcular a sua contribuição, é preciso considerar o valor do seu salário. Assim, o INSS define um piso e um teto, ou seja, um valor mínimo e máximo do valor da aposentadoria.

Só para ilustrar, em 2022 o piso foi de R$ 1.212,00, que é o salário mínimo atual. Por outro lado, o teto foi de R$ 7.087,22. Isso significa que esses são os valores limites que um trabalhador pode receber.

Qual é a diferença entre RGPS e RPPS?

Para entender melhor as regras da previdência, é muito importante que você conhece os dois principais modelos dos regimes da Previdência Social: O RGPS e RPPS.

O RGPS é o mais conhecido, já que envolve todos os trabalhadores com vínculo empregatício, autônomos e contribuintes individuais.

Por outro lado, o RPPS (Regime Próprio da Previdência Social) é um modelo onde os servidores públicos dos poderes federais, estaduais e municipais acessam os benefícios da Previdência Social.

Nesse regime, não existe uma regra geral que contemple todos os servidores. Por isso, cada órgão público pode, desde que respeite as normas institucionais, definir suas próprias regras previdenciárias.

Além disso, também existe o Regime de Previdência Complementar (RPC), que também é conhecido como Previdência Privada. A seguir, saiba como esse modelo funciona.

O que é Previdência Privada e para que serve?

O que é previdência privada e para que serve | Cofrinho, moedas e notas | Economia e renda extra | Eu Dou Conta

Até agora, você aprendeu que na Previdência Social, os trabalhadores que completaram a idade e/ou tempo de serviço mínimos, além de pessoas que precisam interromper as atividades por motivo de doença ou acidente, entre outros, podem se aposentar com esse regime.

No entanto, em alguns casos, o valor máximo pago a um segurado pode ser um pouco abaixo. Por isso, muitas pessoas também adotam a Previdência Privada.

Na Previdência Privada, o trabalhador vai aplicar um valor mensal em um fundo particular, que deve render recursos que serão usados no futuro para custear a sua aposentadoria.

Nesse sentido, quanto mais rápido o trabalhador ingressar na Previdência Privada, menores poderão ser os valores de contribuição.

Porém, vale ressaltar que a contribuição com uma Previdência Privada não anula o pagamento da Previdência Social, se você trabalhar com carteira assinada. Ela é apenas uma forma de complementar a sua aposentadoria no futuro.

Qual a diferença entre Previdência Social e Previdência Privada?

A principal diferença entre os dois modelos é a obrigatoriedade. Enquanto a Previdência Social é obrigatória e garantida, a privada funciona como um investimento, com o objetivo principal de complementar a aposentadoria do INSS.

Em outras palavras, ter uma Previdência Privada depende apenas dos seus interesses e do seu planejamento financeiro para o futuro.

Além disso, outro ponto importante é a forma como você vai sacar o valor da sua aposentadoria. Na Previdência Social, você pode fazer o resgate apenas na entrada do processo de aposentadoria ou em casos de acidentes e qualquer outro fator que te impeça de trabalhar.

Por outro lado, é possível resgatar a Previdência Privada até mesmo antes do prazo. Porém, essas condições vão depender do banco que você escolher para aplicar o investimento.

Como complementar a Previdência Social

O ideal é que além de contar com a Previdência Social, você também tenha uma segunda fonte de renda na manga.

Para isso, existem algumas formas de complementar a Previdência Social. Vamos aprender quais são? Já vai anotando por aí para começar a planejar o seu futuro!

Tenha uma reserva de emergência

A reserva de emergência nada mais é do que uma garantia financeira. Ela funciona como uma poupança, com o objetivo de guardar dinheiro em casos de imprevistos e emergências. Daí o nome.

Ela deve cobrir o seu custo de vida caso você perca a sua renda fixa ou tenha gastos altos que não estavam previstos no seu orçamento. Na mesma linha, o ideal é que a reserva de emergência tenha de seis meses a um ano do seu salário, pelo menos.

Mas afinal, o que a reserva de emergência e a previdência tem a ver? Tudo! Isso porque o valor da aposentadoria vai funcionar como sua fonte de renda principal, e caso algum imprevisto aconteça, é sempre bom estar preparado, certo?

Por isso, você pode continuar guardando dinheiro na sua reserva e manter as demais contas com a aposentadoria.

Tenha uma Previdência Privada

Como vimos, a Previdência Privada é feita justamente para complementar a social. Só para ilustrar, ao invés de depender apenas do dinheiro da sua aposentadoria no INSS, você pode construir a sua própria reserva.

Além disso, você pode escolher entre retirar o dinheiro de uma vez ou fazer resgastes parciais. Sem sombra de dúvidas, a previdência privada é uma alternativa para complementar a sua aposentadoria!

Faça uma renda extra

Acima de tudo, a aposentadoria é um direito do trabalhador. No entanto, muitas pessoas optam por continuarem trabalhando, mesmo que com uma carga horária reduzida e até mesmo de forma independente.

Na mesma linha, uma opção é ter uma renda extra e complementar os ganhos da aposentadoria. Afinal, você pode colocar algum hobby ou talento em prática e ainda conseguir um dinheirinho a mais.

Para isso, existem diversas opções, que vão desde fazer bolos e doces até dar aulas particulares. Sobretudo, se você já está pensando em ter mais de uma opção de renda no futuro, é bom já ir colocando a sua renda extra em prática!

E aí, agora já dá pra se planejar para a sua aposentadoria? Esperamos que você tenha gostado de aprender o que é previdência!

Para continuar de olho nas nossas dicas, é só ficar ligado no Eu Dou Conta! Aqui, você tira suas dúvidas sobre finanças de um jeito fácil e leve. Até a próxima!

Sobre o Eu Dou Conta

O Eu Dou Conta é uma plataforma de educação financeira que vai te ajudar a sair do vermelho, conseguir juntar uma renda extra e lidar melhor com o seu dinheiro.

Nós da Construtora Tenda criamos esse projeto para colocar ao alcance de todo brasileiro informações importantes sobre finanças. Queremos mostrar que o dinheiro não precisa ser um problema, mas sim um caminho para alcançar seus objetivos.

Por isso, nosso blog segue uma “trajetória” de conteúdos. Explicamos desde conceitos iniciais como negativação e score de crédito, até as principais dúvidas sobre dívidas, como empréstimos e cheque especial, e dicas de como economizar.

Tudo isso em uma linguagem acessível e porque não (?) divertida. Queremos que as pessoas consigam aprender, tirar suas dúvidas e, posteriormente, dar o próximo passo: talvez começar a investir, conseguir poupar ou então realizar sonhos, como o da casa própria.

A Tenda é uma grande parceira dos programas habitacionais do Governo Federal, como o Casa Verde e Amarela, substituto do Minha Casa Minha Vida. Isso quer dizer que, com a gente, o sonho da casa própria está mais próximo do que você imagina.

Pode acreditar, nós já ajudamos mais de 120 mil famílias brasileiras a conquistarem a casa própria por meio das nossas parcerias. Com mais de 50 anos de história, a Construtora Tenda está presente em 9 estados e até mesmo na B3, a Bolsa de Valores do Brasil. Aproveite para conhecer a nossa Loja Virtual e encontrar um apartamento pertinho de você.