As dívidas parecem não ter fim por aí? Nós sabemos como pode parecer difícil ou até mesmo impossível resolver essa situação, mas, saiba que para tudo tem jeito – até para entender como quitar dívidas!

Está sem tempo para ler agora? Então, ouça este conteúdo que está dividido em 3 partes para você! Aproveite a primeira aqui e, depois, confira as próximas no decorrer do artigo! Para ouvir é só clicar no play!

Se a sua grande meta é aprender como quitar dívidas e se livrar desse problemão, temos uma boa notícia: preparamos um conteúdo completo sobre o assunto. Confira já!

Como quitar dívidas

Como quitar dívidas e sair do vermelho | Mulher fazendo contas | Dúvidas sobre dívidas | Eu Dou Conta

O número de brasileiros com dívidas cresce cada vez mais. Segundo pesquisa da Confederação Nacional do Comércio, Bens e Turismo (CNC), cerca de 77% da população está endividada. Nessa linha, manter as contas em dia tem se tornado um desafio.

Mais ainda, ao atrasar as contas ou não conseguir controlar o próprio dinheiro, muitos consumidores acabam pegando empréstimos com altas taxas de juros, fazendo o problema ficar cada vez pior. Por isso, infelizmente as dívidas viram uma realidade.

Porém, é possível sair do endividamento. Com foco, organização e planejamento, você tem grandes chances de se livrar das dívidas e sair do vermelho. Vamos entender como fazer isso? Confira as dicas que preparamos para você.

1. Conheça o valor das suas dívidas

O primeiro passo para aprender como quitar dívidas de fato é saber exatamente qual o valor que você está devendo. Em outras palavras, você precisa entender quanto desses gastos comprometem a sua renda mensal.

Por isso, o ideal é que você faça uma lista de todas as suas dívidas por ordem de atraso e urgência de pagamento. Por exemplo, qual é a dívida mais antiga? E a que tem taxas de juros mais altas? Esse é o caso das dívidas de cartão de crédito e cheque especial.

Se você tiver dúvidas sobre o valor de uma dívida atual, entre em contato com as empresas para as quais está devendo para confirmar essas informações.

2. Tente negociar com os credores

Agora que você já sabe exatamente quais são as dívidas que tem, o valor delas e para quem está devendo, além de calcular se essas contas cabem no seu salário, uma alternativa para resolver esses débitos em atraso é negociar com os credores, ou seja, com a empresa que colocou o seu nome na lista de negativados.

Para esclarecer: assim como você está interessado em quitar suas dívidas, a instituição também quer que essas contas sejam pagas. Por isso, a negociação costuma ser mais fácil.

Mas antes de entrar em contato, estabeleça um limite do quanto você pode gastar. Depois, peça condições que caibam no seu bolso e veja se a empresa aceita o acordo. Lembre-se: você tem todo o direito de buscar as melhores opções de pagamento para o seu bolso.

3. Faça uma troca de dívida

Você sabia que é possível trocar aquela dívida cara, que está apertando o seu orçamento, por uma conta mais barata? Estamos falando da troca de dívidas.

Basicamente, em vez de pagar uma dívida com juros altos, você vai pagar uma conta com juros menores. Essa opção é muito recomendada e possui diversas vantagens para quem está com muitas dívidas.

Assim, ao trocar uma dívida difícil de pagar por uma mais em conta, é mais fácil organizar as suas finanças e incluir esse débito nas suas contas fixas.

4. Controle seus gastos

Aprendeu como quitar dívidas e finalmente conseguiu sair do vermelho? Ufa! Agora que você já está livre dessa situação, é importante continuar aprendendo para não passar por isso tudo de novo.

Em outras palavras, é fundamental controlar os seus gastos. É claro que você não precisa parar de consumir, mas sim entender quanto do seu dinheiro está disponível para gastos e para cumprir metas e objetivos.

Para fazer isso, a ideia é que você anote todos os gastos que tem, desde aquele docinho depois do almoço até as contas fixas (água, energia, telefone, internet e por aí vai). Assim, vai ser possível entender como funciona a sua vida financeira e quais gastos desnecessários você pode cortar dessa lista.

Você pode usar aplicativos de educação financeira ou anotar no papel mesmo. Acima de tudo, o mais importante é ter esse controle.

5. Peça ajuda da sua família

Para muitas pessoas, falar sobre dinheiro é um tabu. Pior ainda, quando alguém está com muitas dívidas, a situação pode parecer constrangedora. Mas acredite: você não está sozinho!

Isso porque o apoio da família é essencial para sair do vermelho. Cada membro pode ajudar de alguma forma, com ideias para diminuir as contas ou conseguir mais dinheiro, por exemplo. Além disso, você pode (e deve) procurar educar financeiramente todas as pessoas da sua família. Assim, todo mundo sai ganhando, né?

6. Faça uma renda extra

Você já pensou em vender roupas e objetos que não usa mais? Ou, se você sabe cozinhar, já pensou em vender doces, bolos ou marmitas? Sem sombra de dúvida, ter uma renda extra é uma ótima opção para manter suas contas em dia. Vamos te explicar o motivo!

Às vezes, só cortar não basta. Mesmo que você comece a economizar e cortar gastos, você pode acabar precisando de um dinheiro a mais. É aí que entra a renda extra, que basicamente é um dinheiro que você ganha para complementar a sua renda mensal, ou seja, o seu salário.

Você pode ganhar dinheiro oferecendo um serviço paralelo ao seu trabalho, em dias e horários que você definir. Quer saber como você pode ganhar uma renda extra? Olhe só a lista que preparamos para você:

  • Trabalhar como afiliado;
  • Revender produtos;
  • Ser freelancer;
  • Trabalhar como motorista de aplicativo;
  • Dar aulas particulares;
  • Fazer uma loja online;
  • Fazer e vender alimentos;
  • Testar aplicativos;
  • Passear com animais ou hospedá-los em casa;
  • Responder pesquisas na internet.

Viu só quanta coisa dá pra fazer e ainda ganhar um dinheirinho? Agora é só escolher uma dessas opções e começar!

Confira agora o segundo áudio do conteúdo! Assim, ao terminar de ouvir, aproveite o último trecho mais abaixo desta página!

7. Use menos o cartão de crédito

Ah, o cartão de crédito! Ele sempre salva você quando o dinheiro tá pouco? Apesar de ser um grande aliado, ele também é uma das principais causas de endividamento dos brasileiros.

Isso acontece porque muitas pessoas acabam usando o cartão de crédito sem consciência ou fazendo muitas parcelas, o que abre portas para taxas de juros enormes e, consequentemente, para dívidas com os bancos.

Por isso, a nossa dica é que você use menos o cartão de crédito, apenas se necessário, como no caso de precisar fazer uma compra grande ou para conseguir recompensas, como pontos e milhas aéreas. Acima de tudo, para usar o cartão de crédito, é preciso ter uma boa organização financeira para conseguir pagar essa dívida no final do mês.

8. Tenha uma reserva de emergência

Muitas dívidas poderiam ser evitadas se você tivesse uma reserva de emergência, que nada mais é do que uma poupança feita para cobrir gastos inesperados, ou seja, aqueles que não estavam previstos no seu orçamento.

Aliás, uma das causas do endividamento é ter um gasto “surpresa” e não conseguir pagar todas essas contas, criando dívidas e tendo o CPF negativado.

Por isso, o ideal é que você tenha guardado de seis meses a um ano do seu salário bruto mensal. O pensamento aqui é o seguinte: quanto maior for a sua reserva, menores são as chances de cair no endividamento.

Quais são os principais tipos de dívida?

Tipos de dívidas | Foto de uma pessoa vendo dívidas e mexendo no celular | Dúvidas sobre dívidas | Eu Dou Conta

Você já se perguntou quais são as dívidas que podem estar prejudicando as suas finanças? Conhecer o tipo de dívida é essencial para tomar decisões mais bem pensadas e se planejar cada vez melhor.

A seguir, descubra quais são as dívidas mais comuns dos brasileiros.

Cartão de crédito

A possibilidade de parcelar uma compra ou adquirir um produto mais caro, mesmo sem ter dinheiro no bolso, torna as dívidas de cartão de crédito muito comuns. Isso acontece porque na maioria das vezes o limite do cartão é maior do que a renda mensal, e isso acaba atrapalhando o pagamento das contas.

O perigo aparece, principalmente, quando você começa a utilizar o crédito rotativo. Ou seja, quando você paga apenas o mínimo em vez de pagar a fatura inteira. A diferença entre o que você deve e o que pagou acrescenta juros altíssimos sobre o valor que faltou. Então, se não puder pagar a fatura inteira, entre logo em contato com a operadora e negocie.

Empréstimos

Seja para quitar outra dívida, investir em seu negócio, ou comprar algum bem, na maioria dos casos o empréstimo é feito quando você precisa muito de uma quantia. Por isso, muitas pessoas acabam atrasando o pagamento do empréstimo por falta de planejamento, além de não saberem como lidar com as altas taxas de juros dessa modalidade.

Para sair dessa dívida, é preciso se organizar para colocar as parcelas em dia ou buscar uma negociação para que o valor a ser pago tenha desconto.

Financiamentos

Por se tratar de uma dívida de alto custo e longo prazo, as parcelas de um financiamento, tanto imobiliário quanto de automóvel, também são as dívidas mais comuns. Isso acontece porque para muitas pessoas a prestação é maior do que elas podem pagar.

Porém, como a garantia normalmente é o próprio veículo ou imóvel, as taxas de juros costumam ser baixas. Mas isso não significa que a dívida é mais fácil de ser resolvida. Se as parcelas atrasarem, você vai acumular um gasto enorme.

Cheque especial

O cheque especial é automaticamente ativado toda vez que você gasta mais do que tem na sua conta. Em outras palavras, é uma espécie de crédito pré-aprovado liberado pelo banco. Esse é um dos tipos de dívida mais perigoso do mercado, pois o cheque especial tem juros de cerca de 150% ao ano!

Por isso, o ideal é ficar atento ao seu orçamento e planejar seus gastos dentro do limite da sua renda, para não precisar depender do cheque especial.

Dívida ativa

Ter dívidas já é ruim. Agora, ter débitos em aberto com o governo com certeza é uma dor de cabeça e tanto. Estamos falando da chamada dívida ativa.

Para esclarecer, a dívida ativa é registrada toda vez que você deixa de pagar uma taxa, tributo ou imposto municipal, estadual ou federal. Com isso, o órgão responsável registra o seu nome na lista de devedores do governo.

Por exemplo, se você deixar de pagar contas como IPVA, IPTU ou não declarar o seu Imposto de Renda, ganhará uma dívida ativa. O grande problema é que você pode ter seus bens bloqueados e multas altíssimas, além de não conseguir empréstimos e linhas de crédito que até poderiam ajudá-lo.

Em resumo, o ideal é sempre se planejar, tendo uma reserva de emergência e uma renda extra para conseguir resolver gastos inesperados.

Como quitar dívidas com bancos?

Como quitar dívidas com bancos | Duas pessoas dando um aperto de mãos | Dúvidas sobre dívidas | Eu Dou Conta

Sem sombra de dúvida, as dívidas com bancos são uma grande preocupação para quem está devendo. Além de ter o nome no cadastro de órgãos de proteção ao crédito, como Serasa, SPC e Boa Vista, o devedor sofrerá com reprovação de pedidos de empréstimos e financiamentos, uma situação que pode impedi-lo de tirar sonhos e metas do papel.

Portanto, o pagamento de dívidas com bancos deve ser uma prioridade no seu orçamento. A seguir, confira algumas dicas para quitar da melhor forma dívidas com bancos.

Saiba o valor real da dívida

Como vimos, o primeiro passo para aprender como quitar dívidas é saber exatamente quanto e para quem você está devendo. Essa prática vai ajudar a pessoa a entender de fato o quanto precisa e também a formular uma proposta para negociar sua dívida.

Para isso, ela deve entrar em contato com o credor e pedir o valor da dívida atualizada, incluindo as taxas de juros e todos os encargos possíveis. Assim, ela vai saber exatamente o quanto precisa para quitar essa conta.

Muitos bancos oferecem a consulta online das dívidas. Nesse caso, é uma opção mais prática.

Esta é a última parte deste conteúdo em áudio! Ouça agora!

Pesquise as condições de outras empresas

É seu direito ver em diferentes bancos quanto você pagaria para ter o crédito que precisa para encontrar propostas que caibam melhor no seu orçamento financeiro. Em muitos casos, é possível encontrar ofertas com juros menores, por exemplo.

Além disso, você também poderá apresentar essas informações ao credor e negociar as condições mais vantajosas para o seu bolso, caso precise de uma contraproposta. Acima de tudo, o ideal é que a negociação tenha benefícios para ambas as partes.

Tome a iniciativa

Depois de encontrar onde ter o crédito que precisa para pagar sua dívida, procure a empresa credora e ofereça sua proposta de negociação. O ideal é que você não espere a cobrança vir da instituição, mas sim mostrar o seu interesse em resolver essa pendência.

Tudo isso mostra o seu comprometimento, favorecendo a sua relação com o banco e facilitando o contato.

Proponha soluções durante a conversa

Lembre-se sempre: a negociação deve ter benefícios tanto para o credor quanto para você. Por isso, você deve propor soluções e alternativas que sejam convenientes para você pagar suas dívidas.

Em outras palavras, esse é o momento de demonstrar que você quer resolver o débito pendente, mas que precisa de condições viáveis para quitar essas contas.

Ainda mais, você também pode mostrar as simulações que fez em outras empresas e negociar uma proposta igual ou até mesmo inferior.

Participe de feirões de negociação de dívidas

O feirão de negociação de dívidas é uma ótima oportunidade para quitar suas dívidas. Isso porque normalmente nesses eventos, as empresas participantes oferecem condições especiais.

Os feirões são realizados por empresas de proteção ao crédito e até mesmo por instituições financeiras, como bancos. Um exemplo é o Feirão Limpa Nome da Serasa, no qual você pode quitar a dívida online e negociar diretamente com o banco, desde que ele seja um parceiro da Serasa. Incrível, né?

Seja realista

De nada vai adiantar você seguir todos esses passos se não for sincero consigo mesmo. Evite fazer acordos com parcelas que sejam maiores das que você pode pagar. Ser realista e aceitar condições que cabem no seu bolso é fundamental para sair dessa.

Por isso, somente feche o acordo se você tiver 100% de certeza de que ele é bom para você.

Pague as dívidas no prazo

Por fim, é importante honrar o compromisso. Em outras palavras, é preciso pagar as parcelas em dia para se ver livre das dívidas de uma vez por todas. Isso porque, caso você atrase as contas novamente, uma futura renegociação será muito mais difícil e as condições de pagamento, piores.

Como quitar dívida na Serasa?

Serasa | Foto de um celular com o logo do Serasa | Eu Dou Conta

A Serasa é uma das principais plataformas de negociação quando o assunto é limpar o nome. Nela, é possível consultar as dívidas existentes e renegociar os débitos em condições atrativas.

Além disso, o Serasa Limpa Nome é um serviço gratuito, seguro e 100% digital. Assim, você pode fazer toda a negociação pela internet e sem dor de cabeça:

  1. Acesse o site do Serasa Limpa Nome e digite o seu CPF;
  2. Consulte suas dívidas atrasadas e seus detalhes, como valor dos juros e multa, entre outros;
  3. Clique em “Simule agora” para conhecer as condições disponíveis;
  4. Escolha a opção que melhor se encaixa na sua realidade financeira (parcelado ou à vista);
  5. Gere o boleto e faça o pagamento. Depois de pagar a primeira parcela, o banco tem até 5 dias para retirar o seu nome da lista de negativados.

Ainda mais, se você optar pelo parcelamento, será necessário pagar todas as prestações. Caso contrário, seu nome poderá ser negativado novamente.

Viu como quitar dívida na Serasa não é um bicho de sete cabeças? Agora, é só colocar o seu planejamento em prática.

Como evitar novas dívidas

Dicas para manter o nome limpo | Um homem e uma mulher sorrindo e pesquisando na internet | Eu Dou Conta

Conseguiu quitar suas dívidas e limpar o seu nome? Maravilha! Mas, não pense que acabou. Parte do processo de resolver pendências e ter uma vida financeira controlada é evitar que as dívidas apareçam e estraguem tudo de novo.

Para complementar o seu aprendizado, trouxemos alguns passos para mudar seus hábitos financeiros e aprender a usar melhor seu dinheiro. Confira!

Controle suas finanças

Conhecimento nunca é demais, não é mesmo? Nós já demos essa dica lá no comecinho do post, mas vamos relembrar: anote todos os seus gastos e ganhos e saiba todos os detalhes da sua vida financeira.

Não deixe esse hábito de lado, pois ele é fundamental para você ter uma visão completa das suas contas e até mesmo para se preparar caso perceba que está começando a ter dívidas novamente.

Viva um degrau abaixo

Gastar menos do que você ganha é uma ótima dica para evitar dívidas. Afinal, ter uma renda a mais não significa que você deve extrapolar e sair gastando tudo – aliás, essa prática pode prejudicá-lo. Por isso, tente consumir menos, procurando produtos mais em conta. Seu bolso agradece!

Estude sobre educação financeira

Estudar é sempre uma boa ideia, ainda mais se você está cansado de viver no mundo das dívidas. Seja por meio de blogs, cursos, livros, vídeos, enfim, existem muitas opções para você aprender e aplicar esse conhecimento no seu dia a dia.

Converse com as pessoas do seu cotidiano sobre o assunto. Assim, além de aprender como quitar dívidas, você pode ajudar outras pessoas a economizar e limpar o nome, por exemplo.

Por fim, a nossa dica é que você fique sempre de olho nos conteúdos do Eu Dou Conta. Estamos constantemente trazendo dicas, informações e tirando suas dúvidas sobre finanças!

Sobre o Eu Dou Conta

O Eu Dou Conta é uma plataforma de educação financeira que vai te ajudar a sair do vermelho, conseguir juntar uma renda extra e lidar melhor com o seu dinheiro.

Nós da Construtora Tenda criamos esse projeto para colocar ao alcance de todo brasileiro informações importantes sobre finanças. Queremos mostrar que o dinheiro não precisa ser um problema, mas sim um caminho para alcançar seus objetivos.

Por isso, nosso blog segue uma “trajetória” de conteúdos. Explicamos desde conceitos iniciais como negativação e score de crédito, até as principais dúvidas sobre dívidas, como empréstimos e cheque especial, e dicas de como economizar.

Tudo isso em uma linguagem acessível e porque não (?) divertida. Queremos que as pessoas consigam aprender, tirar suas dúvidas e, posteriormente, dar o próximo passo: talvez começar a investir, conseguir poupar ou então realizar sonhos, como o da casa própria.

A Tenda é uma grande parceira dos programas habitacionais do Governo Federal, como o Casa Verde e Amarela, substituto do Minha Casa Minha Vida. Isso quer dizer que, com a gente, o sonho da casa própria está mais próximo do que você imagina.

Pode acreditar, nós já ajudamos mais de 120 mil famílias brasileiras a conquistarem a casa própria por meio das nossas parcerias. Com mais de 50 anos de história, a Construtora Tenda está presente em 9 estados e até mesmo na B3, a Bolsa de Valores do Brasil. Aproveite para conhecer a nossa Loja Virtual e encontrar um apartamento pertinho de você.