c160 Quarto compartilhado: como otimizar o espaço do quarto dos seus filhos? – Tenda



Cadastre-se e fique
por dentro das novidades.





Imóveis com metragens enxutas são uma tendência global, o que faz dos quartos compartilhados uma necessidade em lares de famílias com dois ou mais filhos — tenham eles idades próximas ou não, sejam do mesmo gênero ou não. Duas soluções arquitetônicas tornam a vida em apartamentos pequenos mais prática e confortável, independentemente dos espaços compactos. … Continued

Imóveis com metragens enxutas são uma tendência global, o que faz dos quartos compartilhados uma necessidade em lares de famílias com dois ou mais filhos — tenham eles idades próximas ou não, sejam do mesmo gênero ou não.

Duas soluções arquitetônicas tornam a vida em apartamentos pequenos mais prática e confortável, independentemente dos espaços compactos. A primeira é a integração dos ambientes sociais, ou seja, nada de paredes limitando a passagem entre a sala de estar, de jantar e a cozinha. A segunda é o uso de móveis planejados (feitos sob medida) e o aproveitamento vertical (das paredes) dos dormitórios.

Neste post, vamos mostrar como deixar o quarto compartilhado suficientemente espaçoso, funcional e bem decorado. Dessa forma, os seus filhos vão aproveitar mais e melhor o cantinho deles. Confira as dicas e surpreenda-os!

4 dicas de como otimizar o espaço em quartos compartilhados

Quais são as principais reclamações dos seus filhos na hora de dividir o dormitório? Algo como:

  • terem pouco espaço para guardar as suas coisas;
  • não terem privacidade quando o irmão também está no cômodo;
  • nunca poderem chamar um amigo para dormir em casa, por falta de uma cama extra.

Se forem argumentos do tipo, os seus problemas acabaram. Seguindo as dicas abaixo, essas questões são facilmente resolvidas!

Tome cuidado, apenas, para sempre adaptá-las à quantidade de usuários do quarto compartilhado (de dois a até quatro filhos). E, claro, se houver um primo que fique mais com vocês do que com a própria família, inclua-o no cálculo.

1. Troque as camas tradicionais

Trocar as camas convencionais é a primeira providência. Em vez de deixá-las lado a lado ou uma de frente para a outra, experimente substituí-las por:

  • um beliche ou treliche. Dê preferência aos modelos box ou com gavetões embaixo do colchão da cama de baixo, ótimos para guardar roupas de cama e de banho. Já se eles fizerem questão de receber amigos, prefira um modelo bicama (na base);
  • duas camas altas (em estilo mezanino), com escrivaninhas acopladas na parte de baixo. Além de lindas, elas são ótimas para quem deseja individualizar, ao máximo, os espaços de cada filho.

No caso do beliche ou treliche, durante o dia, o leito inferior pode receber algumas almofadas e servir de sofá. Assim, os seus filhos podem assistir séries ou jogar videogame no quarto, sem bagunçar a sala.

Em relação às camas altas, a vantagem é que, nesse tipo de estrutura, os fios dos aparelhos eletrônicos (carregadores de celular, notebook etc.) ficam escondidos. Isso porque esses móveis costumam ter painéis semelhantes aos usados na televisão da sala.

Mas atenção: na hora de escolher o tipo de cama, tome cuidado para que o móvel tenha o selo do Inmetro e seja adequado às idades das crianças. Essa é a melhor maneira de prevenir acidentes!

2. Invista no mobiliário planejado

Se possível, mande fazer o armário sob medida. Essa é a melhor forma de aproveitar a área vertical e a profundidade dos cantos do dormitório. Até a parede da janela, que costuma ser menos aproveitada, pode ser coberta por estantes e receber um banco abaixo da esquadria.

Mas como o mobiliário planejado não é uma alternativa barata, reúna a família e avaliem o custo-benefício. Se acharem que vale mesmo a pena, revejam os gastos domésticos e decidam se é possível economizar para investir nesse diferencial.

Quando os armários estiverem no local, organize-os em partes individuais e compartilhadas:

  • as portas e gavetas do guarda-roupa devem ser divididas de maneira igual entre os filhos;
  • os nichos e estantes podem ser usados de forma conjunta, servindo para colocar itens que facilitam o dia a dia quando estão à mão, como as mochilas, por exemplo.

3. Individualize as áreas de estudo

Mesmo em quartos compartilhados, quando se trata da área de estudos (ou da área para desenhar, caso um dos filhos ainda esteja em idade pré-escolar) cada um precisa de um espaço só seu. Afinal, os materiais não devem se misturar aos do outro.

Se você optar pelas camas altas, o problema está resolvido. Mas devido ao espaço restrito, a maioria das pessoas escolhe o beliche ou o treliche.

Nesse caso, para facilitar a organização e otimizar o espaço, veja se consegue instalar um armário de parede com mesa dobrável retrátil (que fica embutida e suspensa). Quando aberto, esse tipo de móvel, geralmente, tem algumas prateleiras, nas quais cada filho pode organizar os seus materiais.

Outra mudança fundamental é substituir as cadeiras de escritório convencionais, que ocupam muito espaço. Experimente usar banquetas dobráveis, as quais podem ser penduradas na parede quando não estiverem em uso.

4. Disponha organizadores variados

Não adianta querer que os seus filhos sejam organizados se eles não souberem onde guardar os seus pertences. Em um quarto compartilhado, é essencial que cada um tenha:

  • a sua parte no guarda-roupa, com cabides em quantidade suficiente, e espaço na sapateira;
  • o seu cesto ou caixa de brinquedos, ainda mais se pertencerem a faixas etárias diferentes;
  • porta-objetos menores, para disporem itens variados.

Instale, também, alguns cabideiros de parede e/ou atrás da porta. Essas peças cumprem a função dos antigos mancebos, mas sem a base no chão. Assim, os seus filhos podem pendurar o blusão do uniforme e a mochila da escola de maneira rápida, evitando que sejam largados em qualquer lugar.

Cuidados quando os irmãos têm gêneros, idades e estilos distintos

A personalidade de cada filho deve ser levada em consideração na hora de decorar o quarto compartilhado. Mas caso tenham gêneros e idades muito diferentes ou mesmo gostos discrepantes, resolva a questão com pintura e móveis neutros.

Deixe que o estilo de cada um prevaleça nos acessórios, como nas roupas de cama. Nichos individuais, posicionados próximos às camas, também podem ser decorados com os objetos que cada um preferir.

Outra medida essencial é colocar luminárias individuais próximas às cabeceiras dos leitos. Assim, quando um quiser ler e, o outro, dormir, não haverá briga.

Estratégias para deixar todos os cômodos mais espaçosos 

Decorar apartamento pequeno é um desafio. Por isso, algumas orientações gerais ajudam nesse sentido.

A primeira é usar cores claras nas paredes. Já a iluminação artificial deve ser fria (luzes brancas) e proporcionar claridade suficiente, o que ajuda a aumentar a sensação de espaço.

A organização, como no quarto dos filhos, é uma prioridade em todos os cômodos. Para isso, o mobiliário planejado é ótimo. No entanto, pode pesar no orçamento, como mencionado.

Uma opção é aderir ao “faça você mesmo” e criar móveis que caibam não somente no espaço disponível, mas também no bolso da família. Peças de palete, por exemplo, são fáceis de fazer, custam pouco e estão em alta na decoração.

Neste post, mostramos como um dormitório pode ser perfeitamente dividido entre dois ou mais irmãos — sem que precisem abrir mão do seu estilo pessoal. O segredo para o convívio funcionar é oferecer as ferramentas (móveis e acessórios) para que consigam se organizar no dia a dia, ter espaços individuais e dar conta das suas atividades, tanto de estudos quanto de lazer!

E então, gostou das dicas? Para ficar por dentro de outras soluções para apartamentos pequenos, siga as nossas redes sociais. Estamos no Facebook, Instagram e YouTube!

;



Todos os direitos reservados Tenda 2019
CPNJ: 09.625.762/0001-58

0