ENTENDA O QUE ESTÁ INCLUSO NO VALOR DO CONDOMÍNIO

Morar em Condomínio

Adquirir uma propriedade, além de trazer mais segurança e bem-estar para a família, também significa ter alguns custos extras por mês. O principal deles é a taxa condominial. Saiba o que compõe o valor do condomínio e qual é a sua importância! 

Loja Virtual Tenda
Spotify Blog da Tenda

O que é a taxa condominial?

Taxa condominial | Morar em condomíno | Blog da Tenda

Antes de tudo, para quem deseja morar em um condomínio, é importante saber o que terá que pagar além do próprio apartamento. Afinal, a taxa condominial é uma despesa recorrente e, sem ela, não é possível gerenciar e garantir o bom funcionamento do empreendimento. Por isso, é importante conhecer não só o montante, mas também tudo o que está incluso no valor. 

Basicamente, a taxa condominial é o valor mensal que todo condômino deve pagar para ter direito de permanecer no empreendimento e usufruir das vantagens que ele oferece. Ainda mais, essa contribuição serve para custear o pagamento dos profissionais que trabalham no edifício, como o zelador e porteiro e a manutenção das áreas comuns.

É comum encontrar bons apartamentos com preços bem acessíveis. No entanto, pode acontecer de a taxa do condomínio ser muita alta, o que leva a pessoa a ficar em dúvida se vala a pena ou não adquirir o imóvel. Porém, nesse momento é preciso levar em consideração quais são os objetivos da família e tudo o que um condomínio pode proporcionar, para tomar a melhor decisão.

É importante destacar que mesmo quando não está morando no apartamento, o proprietário do imóvel deve arcar com essa taxa. Isso porque a inadimplência atrapalha a gestão do condomínio e prejudica todos os moradores.

Que tal evitar surpresas desagradáveis e eventual inadimplência? Continue a leitura e saiba mais sobre o assunto para se preparar melhor! 

O que define o valor do condomínio?

Em resumo, tudo o que o morador paga em um condomínio está relacionado aos custos que a administradora terá para gerenciar o lugar, garantindo que ele continue funcionando. Esses gastos são divididos pela quantidade de unidades que formam o empreendimento. 

As pessoas tendem a pensar que os condomínios de alto padrão, principalmente os que oferecem uma diversidade ampla de entretenimento, são os que apresentam taxas mais altas e, às vezes, inacessível para muitas pessoas. De fato, pode funcionar assim, mas a regra é outra. 

Os fatores que mais influem no preço da taxa são o número de funcionários (porteiro, zelador, faxineiro, jardineiro, entre outros), os serviços que são prestados e o número de condôminos, entre os quais as despesas serão rateadas. 

Quais são os custos mensais fixos do condomínio?

Custos do condomínio | Morar em condomínio | Blog da Tenda

Para entender o valor do condomínio, os custos mensais fixos são de máxima importância, pois são recorrentes, correspondendo aos serviços permanentes. Por exemplo, um condomínio com portaria 24 horas terá que arcar com o salário dos porteiros. Somado a isso, está o salário dos funcionários que limpam e vigiam o local (no caso de existirem esses funcionários). 

Esses valores são rateados entre todos os moradores, incluindo os encargos trabalhistas, como INSS e FGTS. Além disso, existem encargos relacionados à prestação de serviços, como o ISS, do governo municipal. 

Desse modo, os custos com funcionários representam geralmente um percentual que varia entre 55% a 64% das despesas totais do condomínio. 

Também é necessário considerar encargos de banco, o pagamento do síndico, caso ele seja remunerado por seu trabalho, e/ou da administradora. Em muitos casos, o síndico não recebe remuneração, mas é isento da taxa. 

Ao mesmo tempo, quadras de esportes, salão de festas, churrasqueiras e outras coisas exigem manutenção periódica entram na conta, o que tende a aumentar as despesas e encarecer a taxa condominial. 

Os serviços de água, gás e luz podem variar, porém por meio de amostragens é possível fazer uma média de gastos. A gestão das câmeras de segurança e dos para-raios também integram essa conta. 

Por fim, também é necessário considerar os custos eventuais e gerais. Os eventuais referem-se aos imprevistos, gastos não programados, como a necessidade de reparar um portão quebrado ou de realizar uma reforma (que envolve despesas com material de construção). Já os custos gerais estão associados ao dinheiro aplicado em cartório, correio, utensílios, materiais para limpeza e assim por diante. 

Como funciona o rateio das despesas? 

Em algumas cidades, as dimensões do apartamento também interferem na divisão dos custos. Um apartamento que tenha três dormitórios, por exemplo, não paga o mesmo preço que uma quitinete. Dessa maneira, cada condomínio define como será feita a cobrança, estabelecendo o que se chama de “fração ideal” para cada unidade, levando em conta suas dimensões e seu formato. 

Alguns condomínios não aplicam o sistema de fração ideal, mas cobram por unidade. Esse sistema é menos “justo” que o da fração ideal, pois todos os moradores pagam a mesma quantia, sem levar em conta o tamanho do apartamento. 

Existem condomínios que têm registros de água e/ou luz individuais para que cada unidade pague exatamente pelo consumo dos seus moradores. Contudo, o investimento inicial para essa estratégia é muito alto. 

Portanto, cabe à cada pessoa se informar sobre como funcionam as regras de divisão de despesas, evitando, assim, problemas e dores de cabeça no futuro. 

É possível reduzir o valor da cobrança do condomínio? 

Para diminuir o valor do condomínio, é preciso uma análise personalizada para tomar as melhores decisões. Em muitos casos, terceirizar certos serviços (como limpeza, portaria, zeladoria) pode ajudar a diminuir a taxa condominial. Isso porque a folha de pagamento é o que mais pesa na hora de calcular esse custo. 

Outra medida é realizar campanhas para racionar o uso de água e energia. Além disso, também é possível instalar sensores de presença, que apagam automaticamente as luzes quando o ambiente está desocupado. Definir regras para usar a energia elétrica nas áreas comuns é outra medida recomendada. 

Quais são as novas regras sobre a taxa de condomínio? 

A taxa de condomínio sofreu algumas modificações recentemente. Essas alterações tocam em um assunto bastante delicado: a inadimplência dos condôminos. A lei afirma que é possível recuperar valores atrasados. 

Em um primeiro momento, o síndico pode enviar a cobrança por meio dos Correios, devendo fazer uso de uma correspondência AR (Aviso de Recebimento). Na verdade, essa primeira correspondência é uma advertência para o morador a fim de que ele regularize sua situação dentro do condomínio. Antes, era obrigatório notificar pessoalmente o morador. 

Outra mudança diz respeito à ação efetiva de cobrança. A dívida de um condômino passou a ser um título executável, o que dá ao síndico ou à administradora o direito de receber o pagamento o mais rapidamente possível. 

Diante das novas regras, o morador com taxas atrasadas tem o prazo máximo de três dias para quitar seu débito ou indicar bens para serem leiloados. Caso ele não aja dessa forma, a Justiça poderá determinar a penhora de bens móveis do morador e até do apartamento, como forma de pagar o que está devendo. 

Por isso, é necessário fazer uma pesquisa sobre o valor do condomínio, comparando com o que é cobrado no mercado, bem como implantar estratégias que podem contribuir para reduzir o preço da taxa mensal. Assim, você passa a entender sobre o assunto para tomar uma decisão consciente ao comprar um imóvel.

Quais são as vantagens de morar em um condomínio?

Vantagens de um apartamento | Morar em condomínio | Blog da Tenda

Hoje em dia, esse tipo de empreendimento tem sido cada vez mais buscado por quem procura um imóvel para morar que traga uma série de vantagens. Isso porque um condomínio residencial fechado atende às principais necessidades dos moradores, como segurança e praticidade, além de oferecer mais qualidade de vida.

Quer entender como esses imóveis trazem mais benefícios e bem-estar? Então veja agora algumas das principais vantagens de morar em condomínio!

Segurança durante 24 horas por dia

Com toda a certeza, a segurança é uma das maiores vantagens de morar em um condomínio. Atualmente, esse é um fator decisivo na hora de escolher um imóvel.

Nesse sentido, um condomínio garante a maior segurança possível aos seus moradores. Muitos contam, por exemplo, com:

  • Portaria 24 horas;
  • Cercas elétricas;
  • Monitoramento por câmeras de segurança;
  • Sistemas modernos de controle de entrada e saída de pessoas.

Tudo isso minimiza a possibilidade de riscos e traz mais tranquilidade aos condôminos.

Infraestrutura de qualidade

Outra vantagem é a infraestrutura completa que um condomínio oferece aos seus moradores. Uma característica típica desses empreendimentos é uma área de lazer diferenciada, que traz praticidade, comodidade e qualidade de vida. Imagine que, a poucos passos da sua casa, você vai poder usufruir de:

  • Salão de jogos;
  • Churrasqueira;
  • Quadras poliesportivas;
  • Equipamentos para exercícios.

Para famílias com crianças, esse é um diferencial ainda mais, pois garante um excelente espaço de recreação para os filhos e toda a segurança que os pais desejam.

Qualidade de vida e momentos únicos

Um condomínio costuma ser a opção ideal para quem busca viver com mais qualidade de vida e bem-estar. Afinal, ter espaço para caminhar, se exercitar, tomar sol e socializar no dia a dia faz toda a diferença na nossa saúde!

Todos os fatores que citamos privilegiam a qualidade de vida e ajudam a reduzir o estresse, impactando a saúde tanto física como mental dos moradores. Tudo pensado para que você possa se preocupar menos e curtir ainda mais seu novo lar!

Interação com vizinhos

Na rotina corrida em que vivemos, geralmente mal sobra tempo para socializar e aproveitar o convívio com outras pessoas, não é? Contudo, um condomínio residencial fechado pode trazer essa vivência, tão importante para o nosso bem-estar.

Como nesse tipo de imóvel há mais convívio e proximidade nas áreas de lazer e espaços comuns, acaba-se criando um senso de coletividade, laços de amizade entre vizinhos e uma comunicação mais saudável entre os condôminos.

Praticidade e tranquilidade no dia a dia

Por último, morar em condomínio traz a vantagem de tranquilidade em relação a cuidados e manutenção. Isso porque nos empreendimentos há sempre um síndico para cuidar da manutenção das instalações, da limpeza da área de lazer e da administração de modo geral.

Problemas técnicos, como eletricidade e encanamento, ou serviços rotineiros, como faxina das áreas comuns e jardinagem, ficam por conta da administração. Dessa forma, você não tem com o que se preocupar! Bacana, não é?

Como cortar gastos para pagar a taxa do condomínio?

Cortar gastos | Morar em condomínio | Blog da Tenda

Embora seja um gasto a mais, o valor do condomínio não deve ser algo que te impeça de realizar o sonho de morar em um apartamento próprio! Por isso, para te ajudar, preparamos dicas práticas para diminuir suas despesas domésticas e liberar o seu orçamento. Confira!

Economize água

Em primeiro lugar, verifique se não há vazamentos. Qualquer torneira pingando representa dinheiro sendo gasto. Além disso, procure tomar banhos mais rápidos e desligar as torneiras ao ensaboar a louça ou escovar os dentes. Por mais simples que pareçam, essas ações fazem toda a diferença no final do mês!

Utilize energia elétrica de forma consciente

Aqui, as principais dicas são trocar as lâmpadas para modelos mais econômicos, aproveitar mais a luz natural e juntar roupas para lavar de uma só vez. Ainda mais, procure usar por menos tempo equipamentos com resistência (como chuveiros) e também desligar aparelhos sem uso. É possível também investir em ferramentas como sensores de luz.

Aprenda a fazer suas compras de supermercado

Antes de ir às compras, sempre faça um levantamento do que você tem em casa e em quais quantidades, para saber o que precisa repor e evitar exageros. Outra dica é organizar seus armários e acompanhar o consumo dos itens.

Além disto, considere experimentar marcas que ofereçam produtos mais em conta, procure comprar frutas da época (que geralmente ficam mais baratas) ou peças inteiras de carne para congelar e consumir ao longo do mês. Esses são mais alguns hábitos e mudanças que têm um impacto real no seu orçamento doméstico.

Avalie suas contas

Será que realmente é preciso ter, por exemplo, o plano de internet mais caro? Geralmente, existem pequenos cortes que você pode fazer em algumas despesas domésticas. Mas não se preocupe! Nada que vá afetar muito a vida da sua família! Por fim, tire um pouco do seu tempo para avaliar todas as suas contas e veja em que áreas você pode economizar, não importando o valor.

Agora que você sabe tudo sobre o valor do condomínio, que tal aproveitar para conhecer nossos apartamentos à venda? Acesse nossa Loja Virtual e utilize também nosso Simulador de Financiamento. Com ele, você verá que o sonho da casa própria está mais próximo do que você imagina!

Para mais dicas e conteúdos, conheça também nossa página do Facebook e nosso perfil no Instagram!

Loja Virtual Tenda
Spotify Blog da Tenda
Autor do Post | Tenda Blog
Escrito por:

Tenda

Deixe o seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

(0) Comentários
Este artigo ainda não possui comentário. Seja o primeiro.
Deixe seu contato

A gente quer compartilhar as novidades primeiro com você.