FINANCIAMENTO CONJUNTO: ENTENDA COMO ESSA COMPRA FUNCIONA

Guia da Tenda

Na hora de comprar um imóvel, um dos principais exigidos pelas instituições é a garantia financeira. Desse modo, se você acha que não consegue lidar com o valor dessa aquisição sozinho, a participação de mais uma pessoa pode ajudar. Mas, afinal, vale a pena contratar um financiamento conjunto? Descubra agora no nosso post!

Esse conteúdo também está disponível na versão podcast. Aproveite a praticidade do áudio que preparamos para você. Para ouvir é só clicar no play!

Tais, assistente virtual da Alea | Blog da Alea
Loja Virtual Tenda
Spotify Blog da Tenda

O que é financiamento?

Financiamento | Guia da Tenda | Blog da Tenda

O financiamento é uma alternativa muito buscada por brasileiros que desejam sair do aluguel e conquistar a tão sonhada casa própria. Afinal, poucas pessoas possuem dinheiro suficiente para comprar um imóvel à vista. Nesse sentido, o financiamento imobiliário é uma boa opção, pois permite parcelar o valor dessa compra em várias parcelas.

Entre as possiblidades de financiamento, existem também aqueles que se enquadram nos programas habitacionais do Governo Federal, como, por exemplo, o Casa Verde e Amarela. Esse programa, que é substituto do Minha Casa Minha Vida, tem como objetivo facilitar a aquisição de uma casa ou apartamento e melhorar a qualidade de vida dos brasileiros. Ainda mais, o programa oferece benefícios como o subsídio, o uso do FGTS e a composição de renda.

Como funciona um financiamento conjunto?

Imagine um casal de namorados que acabou de anunciar um noivado e começa a pensar na casa própria ou então dois irmãos que querem ampliar seu patrimônio. Em ambos os casos, um financiamento conjunto pode ser a solução.

Entretanto, apesar de ser uma prática comum, podem aparecer dúvidas sobre a compra conjunta de imóvel. Afinal, por não ser apenas uma pessoa realizando a transação, a compra pode ficar um pouquinho mais complexa. Mas não se preocupe. Vamos te explicar tudo sobre esse processo.

Em primeiro lugar, adquirir um apartamento ou uma casa com outras pessoas é perfeitamente possível e de acordo com a lei. Ao mesmo tempo, os dois compradores têm os direitos sobre a propriedade e também os deveres relacionados a ela.

Em outras palavras, cada um dos donos é obrigado a contribuir no pagamento de contas, impostos e outras taxas da propriedade. No caso da compra por meio de um financiamento conjunto, é obrigação também pagar todo o saldo devedor até a quitação do imóvel.

Quando você opta por realizar essa compra conjunta, está recorrendo ao benefício de composição de renda. Saiba mais sobre esse recurso!

O que é composição de renda?

Composição de renda | Guia da Tenda | Blog da Tenda

Se você está pensando em fazer um financiamento conjunto, precisa entender como funciona a composição de renda. Basicamente, esse recurso é o ato de juntar o seu salário com o de outra pessoa para conseguir apresentar a renda necessária para um financiamento imobiliário.

Isso porque, para aprovar o crédito, os bancos exigem uma renda mínima, que varia de acordo com as parcelas do financiamento. Geralmente, para conseguir a aprovação, as parcelas não podem comprometer mais de 30% da renda, seja única ou combinada.

Com a soma, a renda cresce, e o valor a ser comprometido pode ser maior do que seria se apenas uma pessoa fizesse o financiamento. Dessa forma, fica mais fácil atender ao mínimo exigido pelas instituições sem comprometer boa parte do seu orçamento.

Na programa Casa Verde e Amarela, é possível compor renda com até 3 pessoas diferentes em um financiamento conjunto. Porém, é importante seguir as regras de documentação e comprovação de renda, que são as mesmas de uma compra de imóvel por uma só pessoa.

Com quem posso juntar renda para um financiamento conjunto?

Antigamente, a composição de renda para financiamento era permitida apenas a cônjuges casados ou companheiros com a união estável registrada em cartório, mas esse cenário mudou há um bom tempo. Agora, as regras variam de acordo com cada instituição.

No Banco do Brasil, por exemplo, há um limite de até três pessoas, que devem ter parentesco, seja ele sanguíneo ou por afinidade. Já a Caixa Econômica Federal, parceira dos programas habitacionais, permite a participação de qualquer pessoa. Veja abaixo quem pode entrar na soma de composição de renda:

  • cônjuges e namorados;
  • enteado, madrasta e padrasto;
  • pais, sogros e filhos;
  • tios e primos;
  • irmãos e amigos.

Vale lembrar que as exigências feitas pelo banco em relação às comprovações de renda valem para todas as pessoas que fizerem parte da composição de renda. Ou seja, todos os solicitantes precisam ser brasileiros, maiores de 18 anos e não podem ter restrições de crédito, como CPF cadastrado no Serasa, por exemplo.

Além disso, o imóvel escolhido deve estar localizado na mesma cidade ou região onde as pessoas que solicitaram o financiamento residem ou trabalhem há, pelo menos, um ano.

Quais cuidados tomar na composição de renda?

A composição de renda é uma excelente opção para quem quer financiar um imóvel. Entretanto, é fundamental avaliar o grau de relacionamento entre os participantes, para ter certeza de que o financiamento não será um problema no futuro.

Se algum dia você optar por vender o imóvel, será preciso a aprovação de todos os envolvidos na compra. Todos os participantes também serão responsáveis pelo compromisso junto ao banco. Caso haja atraso nos pagamentos, todos serão considerados inadimplentes. Ainda mais, por se tratar de um contrato longo, as pessoas não poderão se envolver em outras linhas de crédito até a amortização da dívida. Por isso, é preciso escolher pessoas de confiança para o financiamento conjunto.

Já a parte legal do acordo é feita de maneira simples e sem grandes complicações. Para firmar a negociação, só é preciso que o nome dos indivíduos envolvidos constem nos documentos de compra e venda do imóvel.

Quando é possível fazer um financiamento conjunto?

Financiamento conjunto | Guia da Tenda | Blog da Tenda

Há diversas situações nas quais realizar um financiamento conjunto pode ser considerada a opção ideal. Para quem está planejando o casamento ou já se casou e quer conquistar o apartamento próprio, compor a renda agiliza a aprovação de crédito. A compra conjunta de imóvel também é possível para pessoas que possuem união estável.

Filhos, irmãos e pessoas sem vínculos familiares podem realizar compra conjunta de imóvel? Sim! Todas as pessoas que possuem renda e atendam aos critérios necessários para um financiamento podem se juntar para realizar essa compra, desde que se enquadrem nos critérios de aprovação que citamos acima. Ou seja, filhos podem se unir aos pais e amigos podem se juntar para financiar um apartamento.

Quais são os possíveis impedimentos à compra conjunta?

Apesar de oferecer inúmeras vantagens, existem impedimentos que podem atrapalhar o financiamento conjunto de um imóvel.

Antes de tudo, todos os interessados devem atender às condições da instituição financeira ou construtora para participar da solicitação de crédito imobiliário. Isso significa, principalmente, apresentar a documentação pessoal em ordem.

Caso o banco ou instituição entenda que o perfil de um dos solicitantes não atende às suas expectativas, ela poderá recusar a concessão. Se um dos participantes está negativado, por exemplo, é bem provável que o financiamento seja recusado.

Outro ponto analisado para conceder o crédito está a comprovação de renda. Se a renda de uma pessoa estiver comprometida em até 30% com outras dívidas, o crédito para compra conjunta de imóvel não será concedido.

Em resumo, é preciso estar com a documentação pessoal em ordem e ter o nome limpo. Então, preste muita atenção à essas exigências antes de solicitar o financiamento, ok?

Vantagens e desvantagens de um financiamento conjunto

Você ainda está em dúvidas sobre o financiamento conjunto? Não se preocupe, isso é bastante comum. Afinal, essa é uma compra que envolve valores altos, comprometimento de renda e, o mais complexo, outras pessoas. Portanto, é importante colocar na balança as vantagens e as desvantagens da compra conjunta de imóvel. Vamos começar com as vantagens primeiro?

Antes de mais nada, essa é uma excelente opção para quem não possui uma renda que alcance o valor necessário para um financiamento. Imagine que você faz muitas simulações para saber seu potencial de compra e percebe que, se tivesse outra pessoa para realizá-la com você, teria mais chances de sucesso.

É mais fácil aprovar o financiamento imobiliário nos casos de compra conjunta e composição de renda, porque a renda total fica com um limite mais alto. Assim, além de poder financiar um imóvel de valor mais alto, você pode contar com parcelas mais acessíveis.

Como desvantagem, você não será o único proprietário do imóvel. Isso significa que qualquer transação ou mudança que você pretenda realizar com ele dependerá da aprovação da outra parte. Lembre-se: ambos têm as mesmas obrigações e direitos.

Outro ponto complexo que pode se tornar uma desvantagem é a separação de casais, familiares ou amigos que entram em conflitos. Infelizmente, essas coisas acontecem, e podem atrapalhar o financiamento.

Quais são os cuidados necessários para realizar essa compra?

Agora que você já sabe como funciona um financiamento conjunto, a composição de renda e as vantagens e desvantagens, pode estar considerando realizar essa compra. Contudo, seja com o cônjuge, com o filho ou com um amigo, é preciso tomar alguns cuidados na hora de efetuar a operação.

Acima de tudo, sua precaução deve ser deixar evidente no contrato de compra e venda o nome de todos os participantes da aquisição.  Deve-se também registrar o porcentual que cada coproprietário detém, de maneira bem clara na documentação da compra e na escritura do bem. Esse cuidado é fundamental para delimitar direitos e obrigações de cada um.

Lembre-se sempre de que o imóvel é afetado diretamente pelas ações dos seus donos. Se um dos proprietários tiver problemas com inadimplência ou cobranças judiciais, essas pendências podem recair sobre a propriedade.

O segundo cuidado é específico para quem oficializou o casamento. Nesse caso, a atenção deve se voltar para o regime de bens. Se o casal não definir o regime, entra automaticamente em comunhão parcial de bens. Ou seja, 50% dos bens para cada um.

Além disso, é preciso pesquisar bastante as condições impostas pela construtora ou pela instituição financeira. Leia atentamente o contrato e tenha a certeza de que todos podem arcar com o financiamento. Planejamento sempre!

É possível separar o financiamento em caso de divórcio ou desentendimento?

Quando o casal entra em um processo de divórcio ou há atritos na relação entre os envolvidos no financiamento, o primeiro passo é entrar em contato com o banco para reajustar o contrato. Dessa forma, é possível chegar a um acordo para dividir as parcelas restantes ou realizar a transferência de financiamento para apenas uma das partes.

Para que o reajuste seja aprovado, a instituição realizará uma nova análise de crédito para comprovar a renda individual da pessoa que será a única dona do imóvel. Para isso, é preciso apresentar maiores garantias, já que a responsabilidade de pagamento se limitará apenas a ela.

Vale a pena fazer um financiamento conjunto?

Compra conjunta | Guia da Tenda | Blog da Tenda

Em conclusão, a compra conjunta de um imóvel vale a pena para aqueles que estão se preparando para uma vida a dois ou para quem quer realizar o sonho da casa própria, mas precisa de uma ajuda para realizar esse objetivo.

Se você está com dúvida sobre os benefícios, é importante conversar com calma sobre o assunto com todos os envolvidos. Vale a pena fazer um planejamento financeiro, para conhecer os gastos e despesas de cada um. Ainda mais, é essencial conversar sobre os objetivos de cada pessoa, para ter a certeza de que ter uma casa ou apartamento é realmente o sonho ou prioridade do indivíduo.

Uma dica que pode fazer toda a diferença é encontrar um construtora de confiança. A Tenda é uma grande parceira dos programas habitacionais do Governo Federal, como o Minha Casa Minha Vida e o Casa Verde e Amarela. Com isso, além da composição de renda, você conta com diversas outras facilidades para realizar essa conquista, como o uso do FGTS e a possibilidade de entrada facilitada.

Além disso, você pode consultar agora o nosso Simulador de Financiamento, que mostra qual seria o valor das parcelas do financiamento de acordo com a sua renda ou da soma de todos que farão parte da compra. Para saber mais, acesse nossa Loja Virtual e conheça nossos apartamentos à venda. Acredite, nós temos um imóvel perfeito para você e sua família!

Quer ficar sempre por dentro dos nossos conteúdos e dicas? Acompanhe também nosso Facebook e Instagram!

Loja Virtual Tenda
Spotify Blog da Tenda
Autor do Post | Tenda Blog
Escrito por:

Tenda

Deixe o seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

(0) Comentários
Este artigo ainda não possui comentário. Seja o primeiro.
Deixe seu contato

A gente quer compartilhar as novidades primeiro com você.