Plantas que não precisam de luz: 7 plantas para colocar no apartamento – Tenda



Cadastre-se e fique
por dentro das novidades.





O que acha de escolher plantas que não precisam de luz para decorar aquele cantinho especial dentro do seu apartamento? Confira nossas sugestões!

O que acha de escolher plantas que não precisam de luz para decorar aquele cantinho especial dentro do seu apartamento? Confira nossas sugestões!

Que tal conhecer 7 espécies de plantas que não precisam de luz solar direta para se desenvolver nem exigem manutenções complicadas? Deixe seu apartamento muito mais agradável sem trabalho!

Já reparou como um toque de verde é capaz de transformar a decoração do lar? Bastante democrático, esse recurso é empregado tanto por designers de interiores em imóveis luxuosos quanto por proprietários e inquilinos de casas bem simples. Afinal, há plantas para todos os bolsos! A variedade de valores só não é maior que a quantidade de espécies disponíveis para escolha. A propósito, sabia que existem plantas que não precisam de tanta luz? Essas são ideais para quem mora em apartamento!

Quer saber mais sobre o assunto? Continue a leitura para conhecer 7 espécies indicadas para ambientes com pouca luminosidade natural!

Por que cultivar plantas em casa?

Trazer um pouco da natureza para dentro de casa, no melhor estilo urban jungle, resulta em benefícios que vão muito além da estética. Essa é não apenas uma forma barata e elegante de decorar o lar, mas também uma forma de terapia! Cuidar de um pequeno jardim, nem que seja apenas um vasinho, ajuda a afastar o estresse do dia a dia, viu? Sem falar que existem plantas que funcionam como repelente, mantendo os mosquitos longe de maneira natural.

Quais plantinhas não precisam de luz?

Quem mora em apartamento deve investir em plantas que não precisam de luz solar direta. E o bacana é que existem ótimas opções que atendem a esse pré-requisito! Confira a partir de agora 7 espécies que cabem em qualquer cantinho e adote a que mais combina com seu estilo!

 1. Aspidistra (Aspidistra elatior)

A Aspidistra apresenta folhagem de porte baixo, ficando entre 40 e 60 centímetros. Precisa de solo adubado e drenável, que seja irrigado regularmente.

É ideal para cultivo à meia-sombra. Em ambientes pouco iluminados, fica bem verdinha, sem pintas nem estrias. Quando exposta ao sol, no entanto, sofre queimaduras. Por isso, posicione-a longe de janelas com incidência solar direta, combinado?

Se plantada em vaso, raramente floresce. Mas isso definitivamente não é um problema, porque suas folhas largas e brilhantes compensam a ausência de floração. A Aspidistra vai ficar linda na sua sala de jantar!

 2. Camedórea elegante (Chamaedorea elegans)

Palmeira de pequeno porte, alcançando de 60 a 90 centímetros, a Camedórea combina com decorações de estilo tropical. Vai bem em ambiente iluminados, desde que com luz difusa — não direta.

Se escolher posicioná-la na sala de estar, invista em uma boa cortina ou persiana para filtrar a luz. E tome cuidado também com o vento. Nada de deixar o ventilador virado diretamente para ela, ok?

Além de vasos, essa palmeira pode ser usada em arranjos de mesa, pequenos jardins e até terrários. O solo deve ser adubado e drenável, além de irrigado com regularidade.

 3. Peperômia (Peperomia scandens)

A Peperômia apresenta folhagem pendente em formato de coração, crescendo de 60 a 90 centímetros. Pode ser inteiramente verde ou ter bordas brancas ou amareladas. Cultivada à sombra, é uma opção coringa entre as plantas que não precisam de luz direta.

Como aguenta bem a luz fluorescente, muitos gostam de cultivar essa espécie na cozinha, nas prateleiras mais altas. Ela também fica linda em cestos suspensos e pendentes de diversos modelos.

Muito fácil de cuidar, a Peperômia pode ser regada apenas uma vez na semana. No verão, no entanto, exige regas mais frequentes. Precisa de solo fértil, enriquecido com matéria orgânica.

 4. Zamioculca (Zamioculcas zamiifolia)

A Zamioculca apresenta folhagem vistosa, com aspecto encerado, e normalmente atinge de 40 a 60 centímetros. Adapta-se muito bem a locais com baixa luminosidade natural, como corredores e halls de entrada.

De manutenção simples, a espécie é ideal para quem vive fora de casa e tem pouco tempo para os cuidados. O solo deve ser adubado e umedecido, mas nunca encharcado. A rega deve ser feita no máximo 2 vezes por semana.

 5. Lírio da paz (Spathiphyllum wallisii)

O contraste entre as folhas escuras e as flores brancas do Lírio deixa qualquer ambiente mais elegante. Alcançando de 40 a 60 centímetros, é uma ótima planta para espaços pequenos. Por não exalar perfume, pode ser uma boa deixá-la no quarto.

As adubações podem ser anuais e a rega, somente quando a terra secar. Para acertar, fique atento às folhas: se começarem a cair, é sinal de que a plantinha precisa de mais água.

 6. Falenópsis (Phalaenopsis x hybridus)

Atingindo entre 30 e 40 centímetros, esse tipo de orquídea é encontrado em cores variadas, como branca, rosa, amarela e púrpura, entre outras. Para deixar a casa cheia de vida, posicione-a em um local de destaque, como no centro da mesa de jantar.

As Falenópsis gostam de locais arejados, mas protegidos do sol a pino. Toleram apenas os raios das primeiras horas do dia. A irrigação deve ser feita de 2 a 3 vezes por semana, sempre com moderação. Nada de encharcá-la!

7. Cactos e suculentas

É curioso pensar sobre como essas espécies originárias de climas desérticos se adaptaram tão bem dentro de casa. Hoje em dia, são verdadeiras queridinhas dos arranjos para centros de mesa e decoração em geral.

Com formas e tamanhos variados, aposte em uma coleção de vasinhos para decorar cantinhos especiais. Mas procure deixá-los em locais onde o sol bate por pelo menos algumas horas no dia. Que tal posicioná-las perto da janela da lavanderia, por exemplo?

Como armazenam água, exigem pouquíssima manutenção. Em média, cactos e suculentas devem ser regados uma vez por semana no verão e a cada 15 dias em épocas mais frias. Para acertar, fique atento: se as folhas murcharem, aumente a frequência; se começarem a apodrecer na base, diminua. Já a adubação pode ser mensal.

Como evitar que as plantas morram?

Quando se trata de cuidar de um ser vivo, o que vale é o equilíbrio. Lembre-se: cuidados demais podem ser tão prejudiciais quanto de menos!

Se você gosta da ideia de trazer mais verde para dentro de casa, mas tem medo de acabar matando a nova integrante da família, fique tranquilo: bem orientado, qualquer um consegue cuidar de uma plantinha.

A primeira dica é escolher aquelas que se encaixem bem com sua rotina. Quem trabalha fora, por exemplo, costuma se dar melhor com plantas que exigem pouca manutenção. Do contrário, vira abandono com risco de morte iminente. Melhor não, certo?

Se tiver algum animal de estimação, pesquise antes para não cultivar espécies tóxicas. As Peperômias, por exemplo, são boas para quem tem pets que gostam de morder plantas. Em caso de dúvida, consulte um jardineiro profissional. Funcionários de garden centers (lojas de paisagismo e jardinagem) também são capacitados para dar orientações nesse sentido.

Agora que você sabe que existem plantas que não precisam de luz, escolha sua favorita e deixe seu apartamento muito mais aconchegante! Nada de receio de não saber como cuidar. Basta seguir as orientações sobre rega, poda e adubação, dedicando alguns minutos durante a semana para mantê-las sempre bonitas e saudáveis. E pronto!

Quer ficar por dentro das melhores dicas de decoração para apartamentos pequenos? Curta nossa página no Facebook e deixe seu lar incrível!




Todos os direitos reservados Tenda 2019
CPNJ: 09.625.762/0001-58